Rede

PSP detém oito pessoas em operação contra tráfico de droga em Bragança

PSP detém oito pessoas em operação contra tráfico de droga em Bragança

A PSP desmantelou esta quarta-feira uma das principais redes de introdução de estupefacientes na cidade de Bragança, com a detenção de oito pessoas, cinco homens e três mulheres, entre os 21 e os 60 anos.

Durante a ação policial, realizada em vários bairros da cidade de Bragança e em Lebução (Valpaços), foi ainda apreendida cocaína suficiente para 400 doses e heroína que dava para 150 doses, cerca de 3800 euros em dinheiro, duas viaturas ligeiras, 12 telemóveis e diversos utensílios associados ao tráfico de estupefacientes, nomeadamente à dosagem, pesagem e distribuição.

A investigação estava no terreno há sete meses e "permitiu pôr cobro a uma das mais visíveis e importantes vias de distribuição aos consumidores de Bragança e que será totalmente comprometida", referiu o comandante da PSP, José Neto.

A maioria dos detidos reside na cidade brigantina, são todos de nacionalidade portuguesa, e presume-se que as cabecilhas do grupo sejam uma mulher com 60 anos e a sua filha. A estrutura organizada de distribuição direta de estupefacientes estava sedeada em Bragança e atuava na cidade concertadamente.

"Conseguimos apreender algum produto que se suspeita seja estupefaciente, nomeadamente cocaína e uma quantia significativa em dinheiro que poderá resultar da atividade de tráfico", explicou o comissário Bruno Machado.

Uma das principais intervenções teve lugar no Bairro da Mãe d'Água, em Bragança, mas a ação policial decorreu também em outras zonas da cidade, envolvendo cerca de 60 agentes e todas as valências da PSP, desde a segurança operacional, cinotecnia e investigação criminal, contando ainda com o apoio da GNR de Valpaços.

"A maioria dos suspeitos dedicava-se ao tráfico de droga em sistema de venda direta ao consumidor. Era uma rede com bastante expressão e com um volume de negócios significativo para a cidade", referiu Bruno Machado. Tudo indica que a rede se abastecia de droga na zona Norte do país e em Espanha. "Trata-se de um grupo com alguma organização, que trabalhava coordenado e com relação hierárquica entre eles. Foram sendo identificados à medida que a investigação ia avançando", descreveu o comissário da PSP.

Outras Notícias