Premium

PSP e GNR prometem ano intenso de protestos

PSP e GNR prometem ano intenso de protestos

A promessa foi feita a 21 de novembro, na manifestação que juntou em Lisboa milhares de elementos da PSP e da GNR, e é para cumprir: no próximo dia 21, polícias e militares voltam a unir-se numa ação de protesto, em moldes ainda a definir, por melhores salários e condições de trabalho.

E a ameaça é de que, caso não se altere o que o Governo de António Costa tem para oferecer às forças de segurança, a contestação dure todo o ano.

Ao JN, o presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), Paulo Rodrigues, e o líder da Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR), César Nogueira, falam em negociações com a tutela "inquinadas" à partida e numa proposta de Orçamento do Estado (OE) para o próximo ano aquém das suas expectativas. "Se nada mudar, 2020 vai ser um ano de grandes protestos", assegura Paulo Rodrigues. César Nogueira corrobora: "Se nada mudar, não vamos baixar os braços".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG