Oeiras

PSP identificou 35 pessoas em operação musculada no Bairro dos Navegadores

PSP identificou 35 pessoas em operação musculada no Bairro dos Navegadores

Tranquilidade regressou após duas noites de violência. Todas as viaturas que entraram no bairro até às 21 horas de quarta-feira foram fiscalizadas.

A PSP identificou 35 pessoas durante a operação musculada que decorreu na última quarta-feira, no Bairro dos Navegadores, em Oeiras. Todas são suspeitas de terem estado envolvidas nos ataques aos polícias, ocorridos durante duas noites consecutivas. Na ação desenvolvida para fazer regressar a tranquilidade ao bairro, a PSP efetuou, também, duas apreensões e emitiu 18 autos de contraordenação. Treze por incumprimento das regras impostas para combater a propagação da pandemia de covid-19 e cinco pela posse de cães de raça perigosa.

As noites de segunda e terça-feira no Bairro dos Navegadores foram, tal como o JN noticiou, marcadas por episódios de violência. Tudo começou quando os moradores alertaram a PSP por causa de um indivíduo que circulava pelas ruas aos berros, impedindo o descanso das famílias que ali residiam. À chegada da primeira patrulha, o homem reagiu com violência e agrediu dois polícias, que foram obrigados a acionar reforços. Quando mais patrulhas chegaram ao local e se preparavam para deter o agressor, cerca de 30 familiares e amigos do suspeito vieram em seu socorro e conseguiram resgatá-lo. Seguiram-se confrontos entre os polícias e os elementos do grupo, que envolveram o arremesso de pedras, troncos de madeira e garrafas de vidro e que terminaram com a detenção de três homens, um dos quais o indivíduo que espoletou toda a situação. Estes seriam libertados no dia seguinte, após prestarem termo de identidade e residência e vão aguardar pelo desenrolar da investigação.

Na madrugada de quarta-feira registaram-se novos desacatos quando uma patrulha que passava no bairro foi atacada. "Várias pessoas que estavam na rua voltaram a arremessar pedras e paus contra os polícias", referiu o comissário Paulo Morgado. O adjunto da Divisão Policial de Oeiras acrescentou que foram acionados reforços, mas que não foi possível deter nenhum dos agressores.

Objetivo alcançado

PUB

Por esse motivo, a Polícia regressou ao bairro na tarde seguinte. "A PSP não permite que ações isoladas de uma minoria coloquem em causa a segurança dos restantes moradores, que são pessoas de bem e trabalhadores", referiu Paulo Morgado, que explicou, ainda, que a "ação de visibilidade" pretendeu "devolver a tranquilidade ao bairro" e, simultaneamente, "tentar identificar os indivíduos" que atacaram, na última madrugada os polícias.

A operação musculada contou com elementos das várias unidades da PSP, nomeadamente do Corpo de Intervenção, da Investigação Criminal, da Equipa de Prevenção e Reação Imediata, da Equipa de Intervenção Rápida e do Trânsito, e alongou-se até às 21 horas. No final, a PSP, que montou postos de controlo em todas as entradas do bairro, contou 370 viaturas fiscalizadas e a emissão de 13 autos por incumprimento das regras impostas pelo estado de emergência e outros cinco por posse de cães de raça perigosa.

A PSP também identificou 35 pessoas suspeitas de terem estado envolvidas nos confrontos ocorridos nas duas noites anteriores. "O principal objetivo, que era devolver a tranquilidade ao bairro, foi concretizado", concluiu o comissário Paulo Morgado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG