Covid-19

PSP vai fiscalizar descarte de resíduos perigosos da pandemia

PSP vai fiscalizar descarte de resíduos perigosos da pandemia

A PSP vai juntar-se a uma campanha de sensibilização e fiscalização desencadeada pela Europol na União Europeia para alertar para as normas para o descarte correto de resíduos perigosos como o material de proteção para a covid-19.

"Em termos operacionais, durante esta operação a PSP procederá à fiscalização sucessiva e aconselhamento sobre as normas aplicáveis tanto junto dos cidadãos e espaços produtores de resíduos (comércio, unidades de saúde e outros) como, primordialmente, junto de pontos de recolha, transportadores e operadores/gestores de resíduos perigosos", especificou a Polícia de Segurança Pública (PSP), em comunicado hoje divulgado.

No documento a força policial refere que a eliminação de resíduos perigosos "obedece a regras estritas", necessárias no atual contexto para evitar a multiplicação de contágios de covid-19, especificando que máscaras, viseiras, luvas ou fatos devem ser descartados, recolhidos, transportados e tratados segundo o que está previsto na lei.

"É com base nestes pressupostos que a Polícia de Segurança Pública participa, neste mês de maio, na operação de proteção e preservação do ambiente, desencadeada pela Europol simultaneamente em toda a União Europeia", lê-se no comunicado sobre a Operação Planeta Azul.

A PSP adianta ainda que vai continuar a usar as suas redes sociais para difundir conselhos sobre boas práticas de gestão de equipamento de proteção, reforçando junto dos cidadãos em geral que, no que diz respeito a máscaras, luvas e viseiras, o descarte correto é no lixo comum em recipientes de tampa fechada e não na reciclagem.

Portugal contabiliza 1.089 mortos associados à covid-19 em 26.182 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado hoje.

Portugal entrou domingo em situação de calamidade, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 257 mil mortos e infetou quase 3,7 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

Outras Notícias