Restrições

Quase mil detidos por desobediência e 5600 multas por não utilização de máscara

Quase mil detidos por desobediência e 5600 multas por não utilização de máscara

Quase mil pessoas foram detidas pela PSP e GNR desde o início da pandemia, em março de 2020, um terço das quais por desobediência ao confinamento obrigatório.

Os dados do Ministério da Administração Interna (MAI) foram enviados à agência Lusa no dia em que o presidente da República decidiu não renovar o estado de emergência, que foi inicialmente decretado em 8 de novembro de 2020 para combater a pandemia de covid-19 e depois sucessivamente renovado por períodos de 15 dias.

Segundo o MAI, as 979 detenções por desobediência foram feitas entre 19 de março de 2020, quando entrou em vigor o primeiro período de estado de emergência, e 15 de abril deste ano, tendo ainda a PSP e a GNR, durante esse período, encerrado 3980 estabelecimentos comerciais.

Os dados do MAI revelam também que a GNR e a PSP aplicaram, entre 27 de junho de 2020 e 15 de abril deste ano, 52.173 contraordenações, 46.010 (cerca de 88%) das quais desde 15 de janeiro, quando o país entrou no segundo confinamento.

Os autos estão registados desde 27 de junho do ano passado porque foi quando entrou em vigor o decreto-lei que estabelece o regime de contraordenações para fazer face à pandemia.

A maioria das contraordenações está relacionada com os incumprimentos do dever geral de recolhimento domiciliário (27.089) e limitação de circulação entre concelhos (7.751).

As forças de segurança contabilizaram também 5121 contraordenações por consumo de álcool na rua, 3512 por não utilização de máscara na rua e espaços públicos, 1192 por incumprimento de horário de funcionamento e 1297 por incumprimentos do uso obrigatório de máscara nas salas de espetáculos ou estabelecimentos públicos.

PUB

Foram ainda levantados 846 autos por incumprimento do uso obrigatório de máscara nos transportes públicos e 57 por recusa em realizar o teste SARS-CoV-2.

Desde que começou a pandemia em Portugal, em março de 2020, o estado de emergência foi renovado 15 vezes e, entre maio e início de novembro de 2020, vigorou por três vezes a situação de calamidade, por outras três a situação de contingência e por duas vezes a situação de alerta, em alguns casos apenas em algumas regiões.

Nos primeiros três períodos de estado de emergência, que corresponderam ao primeiro confinamento, entre 19 de março e 02 de maio de 2020, foram detidas 125 pessoas por desobediência ao confinamento obrigatório e encerrados 2.418 estabelecimentos.

Desde 15 de janeiro deste ano, quando começou o segundo confinamento e se registou o maior número de mortos e casos diários de covid-19, foram detidas 266 pessoas por desobediência ao confinamento obrigatório e encerrados 563 estabelecimentos.

O atual período de estado de emergência termina na sexta-feira.

Inicialmente as medidas restritivas, como o recolher obrigatório durante a noite e ao fim de semana, limitavam-se aos concelhos que apresentavam maior risco, mas em 15 de janeiro surgiram novas regras, como o confinamento geral.

Desde o início da pandemia Portugal já contabilizou 834.991 casos confirmados de infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 e 16.970 óbitos relacionados com a covid-19, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG