Seixal

Quatro moradores e um PSP julgados por incidentes no Bairro da Jamaica

Quatro moradores e um PSP julgados por incidentes no Bairro da Jamaica

O Juízo de Instrução Criminal do Seixal decidiu levar a julgamento cinco arguidos na sequência dos desacatos ocorridos a 19 de janeiro de 2019 no Bairro da Jamaica, Seixal. A decisão acompanha integralmente a posição do Ministério Público que deduzira acusação contra quatro moradores e um agente da PSP.

Dois assistentes, também arguidos no processo, haviam requerido abertura de instrução contra dois agentes da PSP por factos suscetíveis de integrarem o crime de ofensas à integridade física. Porém, o tribunal entendeu não existirem indícios suficientes para os pronunciar por estes crimes, anunciou esta segunda-feira a Procuradoria da República da Comarca de Lisboa.

Assim, um agente da PSP vai ser julgado pela prática do crime de ofensas à integridade física simples e os restantes quatro arguidos, todos moradores do bairro, vão responder pelo crime de resistência e coação e alguns ainda por outros crimes, designadamente ameaça agrava, ofensas à integridade física qualificada e injúria.

O inquérito foi investigado pelo Ministério Público do DIAP da Comarca de Lisboa, secção do Seixal.

Desacatos e várias réplicas

Recorde-se que, na manhã de 20 de janeiro de 2019, a PSP foi alertada para "uma desordem entre duas mulheres", tendo sido deslocada para o local uma equipa de intervenção rápida da PSP de Setúbal. Na ocasião, um grupo de homens contestou a intervenção dos agentes da PSP, atirando pedras.

Nas redes sociais foram colocados vídeos a circular em que são visíveis os confrontos entre agentes policiais e moradores. Na sequência destes incidentes, ficaram feridos, sem gravidade, cinco civis e um agente policial.

Os confrontos geraram réplicas durante as semanas seguintes. A onda de violência marcou várias noites de Setúbal, Odivelas, Loures e Sintra com dezenas de contentores e viaturas, entre as quais autocarros, reduzidos a cinzas.

A esquadra da PSP no Bairro da Bela Vista, Setúbal, foi um dos alvos. Na madrugada de 22 de janeiro, três cocktail molotov foram arremessados à fachada e entrada da esquadra, provocando danos no edifício e numa viatura estacionada nas imediações.

Outras Notícias