Exclusivo

Racismo e pirotecnia afastam 60 adeptos dos recintos em três meses

Racismo e pirotecnia afastam 60 adeptos dos recintos em três meses

Um adepto que chamou "macaco" a um jogador, num jogo organizado pela Associação de Futebol de Aveiro, em setembro, ficou agora proibido de entrar em recintos desportivos. O suspeito de atos de racismo enfrenta ainda um processo que lhe poderá valer uma coima até dez mil euros. Dados da Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto mostram que, só no último trimestre, foram proibidos de aceder a estádios e pavilhões 60 adeptos.

O caso ocorreu em 25 de setembro, dia em que o Clube Desportivo de Estarreja defrontou o Oliveira do Bairro Sport Clube, num jogo a contar para a primeira jornada do Campeonato Elite, da Associação de Futebol de Aveiro. Com o desafio a decorrer, um dos adeptos presentes no estádio proferiu insultos racistas a um jogador. "Vai para a tua terra, macaco" foi a frase insultuosa que levou a que o adepto fosse identificado pela GNR, ainda antes do final do encontro.

O crime foi comunicado à Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto, que decidiu, como medida cautelar, impedir o adepto suspeito de atos de racismo de aceder a recintos desportivos. Caso não cumpra a decisão, o suspeito incorre no crime de desobediência e poderá ser detido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG