Porto

Recluso tentou fugir à porta do tribunal onde ia ser julgado

Recluso tentou fugir à porta do tribunal onde ia ser julgado

Guardas prisionais dispararam tiro de aviso em pleno centro da cidade do Porto. Preso apanhado a cerca de 300 metros da carrinha celular.

Um recluso da cadeia do Vale do Sousa tentou fugir, na tarde desta terça-feira, quando se dirigia para um julgamento, no Porto. Embora algemado, o preso ainda conseguiu correr cerca de 300 metros até ser agarrado pelos guardas prisionais que foram no seu encalço. Pelo meio, foi disparado um tiro de aviso em pleno centro da cidade do Porto.

Segundo o JN apurou, foi pelas 14:30 horas que a carrinha celular chegou à rua do Bolhão e estacionou para que o recluso saísse e se dirigisse à sala de audiências para ser julgado. Um procedimento repetido várias vezes ao dia e que nunca gerou qualquer problema, tanto mais que neste tribunal são julgados apenas casos de crimes menores.

Contudo, na terça-feira, quando os guardas prisionais abriram a porta da viatura e permitiram que o preso, já algemado, abandonasse a carrinha, este tentou fugir correndo pela rua do Bolhão. Os guardas prisionais iniciaram, de imediato, a perseguição e um deles disparou para o ar um tiro de aviso. A intenção era que o fugitivo temesse novo disparo e parasse de correr, mas os guardas prisionais foram obrigados a manter a perseguição por cerca de 300 metros, até o apanharem na rua Fernandes Tomás.

A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais confirma que "elementos do corpo da guarda prisional fizeram gorar uma tentativa de evasão de um recluso do Estabelecimento Prisional de Vale do Sousa que aí se deslocava em diligência". E acrescenta que, depois de abortada a tentativa de fuga, o "recluso foi presente a audiência no tribunal" e, no final, regressou à cadeia do Vale do Sousa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG