"Escape Limpo"

Rede de venda de gasolina contrafeita desmantelada em Braga e Porto

Rede de venda de gasolina contrafeita desmantelada em Braga e Porto

A Unidade de Ação Fiscal, através do Destacamento de Ação Fiscal do Porto da GNR, desencadeou uma operação, denominada "Escape Limpo", nos distritos do Porto e Braga.

A investigação decorria há seis meses e culminou com 34 mandados de busca, 24 dos quais domiciliários e nove em armazéns e veículos. Foram apreendidos 13 mil litros de produtos químicos, que eram usados como combustível, 24 380 cigarros, produto resultante da comercialização ilícita de combustíveis e três mil euros em numerário.

"Faziam a venda deste produto carburante a consumidores que o adquiriam para substituir a gasolina. Os consumidores deslocavam-se aos locais onde o produto estava armazenado e aí faziam o abastecimento dos carros", explicou, ao JN, o capitão Ricardo Amaro, comandante do Destacamento de Ação Fiscal do Porto da GNR.

Foram identificados quatro homens, com idades compreendidas entre os 30 e 55 anos, e duas empresas com atividade na comercialização de produtos químicos. Os suspeitos foram constituídos arguidos e indiciados da prática do crime de introdução fraudulenta no consumo de produtos sujeitos a Imposto Sobre Produtos Petrolíferos e Energéticos. Ricardo Amaro explicou que os indivíduos faziam "uma mistura de três produtos carburantes com um solvente que pelas suas características de hidrocarbonetos podia ser utilizado como combustível". Contudo, por resultar de uma falsificação, "pode causar danos sérios aos veículos".

Este produto era vendido a menos de metade do preço/por litro da gasolina que, em média, está a 1,55 euros/litro. "Foram apreendidos 13 mil litros de produtos químicos, sendo que o valor desta apreensão, só no que não seria liquidado de imposto pelo Estado, ascende a 13 mil euros", sublinhou o operacional.

As duas empresas envolvidas estão ligadas à produção e distribuição de produtos químicos. Os produtos estavam em garagens junto de casas sem as condições necessárias ao armazenamento.

A operação teve a colaboração de uma equipa especializada em matérias perigosas da Unidade de Emergência, Proteção e Socorro da GNR e da Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE).

Cigarros apreendidos

"Numa das buscas domiciliárias encontramos os cigarros que, pela sua quantidade, deveria ser para comércio", afirmou o capitão Ricardo Amaro, referindo-se à apreensão de 24 380 cigarros.

Outros Artigos Recomendados