Guardia Civil

Rede na Galiza traficava sardinha com destino a Matosinhos

Rede na Galiza traficava sardinha com destino a Matosinhos

A Guardia Civil espanhola aprendeu 6300 quilos de sardinha no porto de Sada, em La Corunha, que, ao que tudo indica, teriam Matosinhos como destino. A operação decorreu quando a captura desta espécie está proibida nesta altura do ano.

Numa nota da Guardia Civil, conta-se que dois navios galegos tentaram descarregar 388 caixas de sardinha quando foram intercetados pelo Serviço Marítimo da Guarda Civil. Os suspeitos, depois de descarregarem a mercadoria para um camião de matrícula portuguesa, mesmo sem a necessária pesagem, tentaram retornar ao mar a toda velocidade, mas já não conseguiram.

A par de outros processos, a Guardia Civil notificou a empresa encarregada de receber as capturas para a expedição por apresentação de documentação falsificada para proteger o transporte do peixe, que teria como destino o porto de Matosinhos.

Os agentes verificaram ainda que o segundo navio envolvido na operação comprometeu seriamente a estabilidade devido à carga transportada, uma vez que a carga superava os 3700 quilos permitidos.

Por outro lado, a nota da Guardia Civil destaca que, graças às investigações, foi possível detetar uma rede de pessoas "perfeitamente organizadas". Estas usavam intercomunicadores e telemóveis com "o objetivo de controlar a área e detetar inspetores de pesca", lê-se no documento.

Segundo as autoridades, a mercadoria inicialmente apreendida teria um peso inicial de 7000 quilos, mas após descontadas as paletes, as caixas e outros materiais, reduziu 6367 quilos.

O peixe apreendido foi, entretanto, entregue a instituições de solidariedade, nomeadamente aos Bancos Alimentares de La Corunha.

Recorde-se que em outubro foi divulgado um parecer do Conselho Internacional para a Exploração do Mar (ICES) que apontava para que a pesca da sardinha venha a ser proibida em 2018 em Portugal e Espanha, face à redução acentuada do stock na última década.