Premium

Relação absolve médica condenada por morte

Relação absolve médica condenada por morte

Tribunal de Bragança aplicou dois anos e oito meses por diálise fatal para idosa. Relação considera que houve erros, mas sem autópsia não há provas.

Uma médica nefrologista do hospital de Bragança foi absolvida pelo Tribunal da Relação de Guimarães do crime de homicídio por negligência na morte de uma paciente de 75 anos, em 2013. A profissional de saúde tinha sido condenada pelo Tribunal de Bragança, mas apresentou recurso e foi agora ilibada. Os juízes de Guimarães consideraram que o facto de não ter sido feita a autópsia inviabilizou a única forma de confirmar se a causa da morte se deveu a erro médico.

O caso remonta a janeiro de 2013. No dia 6, a paciente deu entrada no Serviço de Urgência da Unidade Hospitalar de Bragança - Unidade Local de Saúde do Nordeste com queixas de dor no peito. A médica arguida era, à época, assistente graduada da especialidade de Nefrologia no mesmo hospital.