Exclusivo

Relação de Lisboa confirma pena de dez anos de prisão para Rendeiro

Relação de Lisboa confirma pena de dez anos de prisão para Rendeiro

Quatro administradores do BPP também viram recursos serem rejeitados pelos juízes desembargadores. Em causa estão os crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e abuso de confiança cometidos com a distribuição fraudulenta de prémios.

O ex-presidente do Banco Privado Português (BPP), João Rendeiro, sofreu mais uma derrota na Justiça. Nesta quarta-feira, o Tribunal da Relação de Lisboa negou provimento ao recurso apresentado pelo antigo banqueiro, mantendo a condenação de dez anos de prisão decretada em primeira instância. Em causa estão os crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e abuso de confiança cometidos por Rendeiro e outros quatro administradores do BPP.

O Tribunal Judicial de Lisboa já tinha dado como provado que João Rendeiro, Paulo Guichard, Salvador Fezas Vital, Fernando Lopes Lima e Mário Sampaio Silva tinham beneficiado, enquanto gestores do BPP, de uma distribuição fraudulenta de prémios monetários, que causou elevados prejuízos ao banco. E condenou-os a penas entre os dois anos de prisão, suspensos desde que sejam pagos 50 mil euros a uma instituição, e a dez anos de prisão. A pena mais leve foi aplicada a Mário Sampaio Silva, enquanto os dez anos de prisão recaíram sobre Rendeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG