Homicídio

Rosa Grilo contratou ex-PJ condenado para fazer buscas em casa

Rosa Grilo contratou ex-PJ condenado para fazer buscas em casa

A defesa de Rosa Grilo, acusada de matar o marido, o triatleta Luís Grilo, em 2018, contratou um antigo inspetor da PJ condenado num processo de corrupção, para realizar novas buscas em casa, em Cachoeiras, Vila Franca de Xira. Garante ter encontrado um vestígio suspeito.

O principal interveniente nas novas buscas é um antigo inspetor da Polícia Judiciária, João de Sousa, condenado a cinco anos e meio de prisão por corrupção passiva e violação de segredo de funcionário.

Segundo adianta a TVI, um projétil terá sido encontrado pela empresa numa banheira de casa. A GNR foi chamada ao local, onde se encontra a advogada de Rosa Grilo, para preservar o local.

Em declarações aos jornalistas à porta de casa onde foi assassinado Luís Grilo, João de Sousa disse ter sido contactado pela advogada de defesa de Rosa Grilo, Tânia Reis, para prestar serviços de consultadoria. "Para poder dar um parecer, pedi para ver a casa. Vim ver a casa e entretanto numa das divisões detetei uma situação que considerei suspeita, anómala. A partir do momento em que me pareceu ser um vestígio parei tudo e disse à doutora para chamar o Órgão de Polícia Criminal local, mais próximo. Está tudo salvaguardado" disse o consultor que recusou explicar em concreto que tipo de vestígio alegou ter encontrado.

"Muito possivelmente terei de responder em tribunal por isto que aconteceu e portanto temos que esperar que as pessoas vejam as coisas. Eu sei o que vi. É suspeito", alegou João de Sousa.

A Polícia Judiciária não tem qualquer tipo de envolvimento nestas novas diligências, que são da exclusiva responsabilidade da defesa de Rosa Grilo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG