Investigação

Rui Pinto espiou 100 entidades e pessoas mediáticas

Rui Pinto espiou 100 entidades e pessoas mediáticas

Liga de Futebol, clubes, jornalistas e advogados foram vigiados pelo pirata informático. Quantidade de dados apreendidos obrigou a extrair certidões.

Vai ser uma caixa de Pandora. Para além de ter espiado Sporting, Doyen, advogados e Ministério Público (MP), incorrendo num total de 147 crimes pelos quais já foi, esta semana, acusado, Rui Pinto também vigiou uma centena de entidades e personalidades. Na mira do "hacker" estiveram jornalistas, governantes e ministérios, a Liga Portuguesa de Futebol, duas dezenas de escritórios de advogados e ainda o Benfica e o F.C. Porto. Estes acessos ilegais a sistemas informáticos e e-mails serão objeto de investigações autónomas e poderão resultar em mais acusações.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, as complexas perícias ao material informático apreendido em casa de Rui Pinto, em Budapeste, não chegaram a tempo de incluir, na acusação, centena de outros alvos de Rui Pinto, pois o MP tinha até amanhã para imputar os crimes ao arguido, que está há seis meses em prisão preventiva. "Tendo em atenção a extensão destes acessos bem como o facto de decorrerem ainda diligências no sentido de aceder a informação cifrada constante de dispositivos apreendidos, foi determinada a extração de certidão para prosseguimento destas investigações", explicou a Procuradoria-Geral da República.

Leia mais na edição impressa ou na versão e-paper