Hacker

Rui Pinto lamenta "Europa com duas faces"

Rui Pinto lamenta "Europa com duas faces"

Português detido em Budapeste avisa que "comportamento repressivo das autoridades portuguesas" pode impedir colaboração europeia contra criminalidade organizada no futebol.

O português Rui Pinto reagiu esta quarta-feira à reunião do Eurojust que abordou o caso Football Leaks. O encontro, que se realizou em Haia, serviu para as autoridades judiciárias de nove países discutirem potenciais colaborações e trocas de informação para combater fraudes financeiras e branqueamento de capitais no futebol.

"Espero que esta última iniciativa do Eurojust conduza a um julgamento justo em Portugal", afirmou Rui Pinto, na sua conta do Twitter. Antes, o português, que se encontra em prisão domiciliária em Budapeste à espera do desenrolar de um processo de extradição pedido por Portugal, tinha lamentado "uma Europa com duas faces: França aceita os documentos como prova, Portugal quer perseguir criminalmente o whistleblower (denunciante) e destruir todos os documentos".

"Infelizmente, o comportamento repressivo das autoridades portuguesas pode por em risco esta promissora colaboração europeia", avisou Rui Pinto.

Na conferência de imprensa que se seguiu ao encontro no organismo europeu de cooperação judiciária, o procurador francês confirmou que o português está a colaborar com as autoridades francesas e que já lhes disponibilizou 12 milhões de ficheiros.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG