Burla

Sabotam sistema informático de cliente para obrigá-lo a pedir reparação

Sabotam sistema informático de cliente para obrigá-lo a pedir reparação

O Tribunal de Aveiro vai julgar em outubro o sócio-gerente e um funcionário de uma empresa informática por alegadamente terem sabotado o sistema informático de um cliente para obrigá-lo a recorrer aos seus serviços.

Os dois arguidos estão acusados do crime de sabotagem informática, juntamente com a empresa informática, que também é arguida no mesmo processo.

Os factos tiveram início em setembro de 2014, quando a sociedade arguida foi contratada por uma empresa aveirense dedicada à prestação de serviços em eletrónica e telecomunicações para implementar novas funcionalidades no seu sistema informático adequadas às especificidades do negócio.

Segundo a acusação, consultada pela Lusa, os arguidos instalaram um código no sistema informático da empresa que, quando era executado, "levava à eliminação e inoperacionalidade de algumas das funcionalidades específicas".

Em consequência disso, ocorreram "inúmeros e sucessivos" bloqueios no sistema informático, impossibilitando a laboração nalguns serviços daquela firma, nomeadamente a parte da faturação, guias de transporte, parte fabril e stocks.

Esta situação, de acordo com a investigação, implicava a necessária ativação dos serviços de reparação e intervenção técnica da arguida com vista à sua reparação, o que acarretou só em horas de intervenção/reparação o custo de cerca de 16 mil euros.

O esquema só foi descoberto em abril de 2015, após uma empresa que estava a fazer uma auditoria externa ter alertado que estes bloqueios não poderiam ser considerados normais, tendo os arguidos, nessa altura, decidido remover o procedimento doloso.

A empresa que foi vítima do esquema fraudulento queixa-se de ter tido "avultados" prejuízos com as sucessivas paragens na fábrica, reclamando uma indemnização de 365 mil euros.

Outros Artigos Recomendados