2005

SEF expulsa do país homicida de PSP na Cova da Moura

SEF expulsa do país homicida de PSP na Cova da Moura

Luís Santos, hoje com 56 anos, condenado a 23 anos de cadeia pelo homicídio do agente da PSP Irineu Diniz, em fevereiro de 2005, na Cova da Moura, Amadora, foi expulso do território nacional pelo SEF e conduzido a Cabo Verde, de onde é natural. O homem, que tinha sido sentenciado em co-autoria com Euclides Tavares, acabou de cumpriu 17 dos 23 anos a que fora condenado e saiu quinta-feira da prisão.

"O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), que detém a competência do afastamento coercivo e de expulsão judicial de cidadãos estrangeiros em todo território nacional, executou, ontem, a operação de afastamento, por via aérea, do cidadão cabo-verdiano, acusado pelo homicídio do agente da PSP Irineu Diniz, em fevereiro de 2005, na Cova da Moura, Amadora", explicou aquela força policial em comunicado.

A expulsão foi executada na sexta-feira por via aérea e o cidadão cabo-verdiano está impedido de entrar em todo o Espaço Schengen durante os próximos 10 anos. Foi escoltado até a cidade da Praia por inspetores do SEF.

A vítima, de 33 anos, estava dentro dum jipe da PSP, em patrulha, quando foi atingido com 22 tiros, seis na face, em fevereiro de 2005. Os indivíduos tinham disparado indiscriminadamente contra a viatura. Perante a salva de tiros de metralhadora e caçadeira, o condutor conseguiu acelerar e fugir, sem ser atingido, e dirigiu-se ao hospital de Sintra, mas Irineu não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG