Crime

Seis anos de prisão por tentar roubar cofre do Pingo Doce em Braga

Seis anos de prisão por tentar roubar cofre do Pingo Doce em Braga

O Tribunal Judicial de Braga confirmou esta sexta-feira a pena de seis anos de prisão para o principal arguido no caso da tentativa de roubo do cofre-forte do Pingo Doce de S. Vicente, naquela cidade, ocorrida em agosto de 2016.

Aquela pena já tinha sido aplicada em abril, mas entretanto a defesa dos arguidos recorreu para a Relação, que mandou repetir parcialmente o julgamento.

No mesmo processo, uma mulher, na altura funcionária do Pingo Doce, foi condenada a 16 meses de prisão, com pena suspensa, por alegada cumplicidade no crime, ao deixar propositadamente aberta a porta de acesso ao cofre.

Um terceiro arguido, ex-companheiro daquela funcionária do Pingo Doce, acabou por ser absolvido.

No roubo, terão participado mais três indivíduos, que não foram identificados.

Duas funcionárias e um segurança agredidos

O caso remonta à noite de 30 de agosto, quando um grupo armado e encapuzado, oriundo de Loures, irrompeu pelo escritório do Pingo Doce, agredindo duas funcionárias e exigindo-lhes o código do cofre.

PUB

Um segurança foi também agredido mas começou a gritar e, com a confusão gerada, os assaltantes acabaram por abandonar o local, sem nada levarem.

Na véspera, os assaltantes tinham roubado, por "carjacking", um carro em Sintra, que usaram para a deslocação a Braga e para o roubo.

Até ao trânsito em julgado da decisão hoje proferida, o principal arguido vai continuar em prisão preventiva.

Este arguido já tinha sido condenado a dez anos de prisão por outros roubos violentos e, na altura da tentativa de assalto ao Pingo Doce de Braga, tinha saído há pouco tempo da cadeia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG