Tabuaço

Septuagenário confessa que matou vizinho "por um bocado de terreno"

Septuagenário confessa que matou vizinho "por um bocado de terreno"

O julgamento do homem que é acusado de ter matado, em abril do ano passado, no concelho de Tabuaço, um indivíduo com quem tinha quezílias relacionadas com acessos a terrenos agrícolas, arrancou esta quinta-feira com o suspeito a confessar o crime.

O processo está a ser julgado no Tribunal de Viseu. Fernando Augusto, de 75 anos, está acusado dos crimes de homicídio qualificado agravado por uso de arma de fogo, homicídio qualificado na forma tentada agravado pelo uso de arma de fogo e posse de arma proibida.

O crime ocorreu no dia 5 de abril e 2021, na aldeia de Fontainhas, em Valença do Douro, e foi o culminar de dois anos de discussões entre o arguido e a vítima.

Armando Barbosa, de 61 anos, foi morto a tiro de caçadeira na sequência de uma discussão, após Fernando Augusto ter descarregado entulho de uma carrinha num caminho para bloquear a passagem.

Armando confrontou o suspeito com um sacho e Fernando, recorrendo a uma caçadeira que tinha na carrinha, atirou sobre o homem com quem estava desavindo, atingindo-o no pescoço. Depois, pôs-se em fuga, tendo-se entregado, mais tarde, às autoridades.

A filha de Armando assistiu a tudo e foi ela a primeira pessoa a socorrer o pai, que não resistiu aos ferimentos. Também poderia ter sido atingida pelos disparos de caçadeira, segundo o Ministério Público.

PUB

O suspeito confessou tudo no arranque do julgamento. Ao coletivo de juízes, entre lágrimas, disse estar arrependido, não só pelo homicídio que cometeu, mas também por ter desgraçado a sua vida.

"Foram duas tragédias por um bocado de terreno. Se fosse hoje preferia ter ficado sem o terreno todo", declarou, acrescentando que "não há nada que justifique matar, ainda por cima por causa de um bocado de terreno".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG