Balanço

Serviços prisionais com 435 infetados com covid-19

Serviços prisionais com 435 infetados com covid-19

A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) contabiliza este domingo 435 casos positivos de covid-19 entre trabalhadores, reclusos e jovens internados em Centros Educativos, num universo total de cerca de 20 mil pessoas.

Na informação divulgada hoje, a DGRSP especifica que há a registar 351 casos de reclusos ativos (num total de 11.226) e 100 casos clinicamente recuperados, incluindo duas crianças, filhas de reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires.

Entre os trabalhadores do quadro há 74 casos ativos, a que se somam mais 10 trabalhadores externos.

Do conjunto de trabalhadores, há 124 casos clinicamente recuperados, havendo também mais quatro jovens internados em centros educativos.

Os dados da DGRSP referem que na sequência de um recluso do Estabelecimento Prisional de Faro ter, na sexta-feira, acusado positivo à covid-19, foi ativado o plano de contingência do estabelecimento prisional.

Os reclusos foram colocados em quarentena e, em articulação com a saúde pública, foram, tal como os trabalhadores, todos testados no sábado.

Recebida a totalidade dos resultados ao início da tarde de hoje, a DGRSP revelou que há 62 reclusos e quatro trabalhadores do Estabelecimento Prisional de Faro que acusaram positivo à covid-19.

A direção-geral esclarece que os reclusos positivos, todos assintomáticos, foram afetados a uma única ala do estabelecimento prisional onde se encontram em isolamento e sob acompanhamento clínico.

No Estabelecimento Prisional de Vila Real, por se ter verificado também um caso positivo num recluso, foi ativado o plano de contingência, tendo os reclusos sido colocados em quarentena e, juntamente com todos os trabalhadores, sido objeto de testagem na quinta-feira.

Os resultados recebidos indicam que há apenas um trabalhador positivo.

Os dados respeitantes aos casos de covid-19 nos estabelecimentos prisionais de Izeda, Guimarães, Lisboa e Tires mantêm-se inalterados.

Em todos os estabelecimentos prisionais mantêm-se suspensas as atividades de formação escolar e profissional e de trabalho, bem como as visitas, com exceção das dos advogados.

Outras Notícias