Internet

Sites fraudulentos motivam queixa da Ordem dos Arquitetos ao Ministério Público

Sites fraudulentos motivam queixa da Ordem dos Arquitetos ao Ministério Público

A criação de domínios fraudulentos, enquanto se preparam as eleições aos órgãos sociais da Ordem dos Arquitetos para o triénio 2020-2022, levou o presidente desta entidade a decidir apresentar queixa ao Ministério Público.

Em causa está uma alegada criação de quatro domínios e sites no quadro das futuras eleições, marcadas para junho, associados à Ordem dos Arquitetos, e que surpreenderam o seu presidente, José Manuel Pedreirinho.

Contactado pela Lusa, o presidente da direção nacional indicou que a queixa irá ser formalmente entregue esta semana, "contra uma pessoa que se identificou como responsável e outras envolvidas desconhecidas" nesta ação, que sugeria ter sido a Ordem a criar domínios online.

"É uma situação grave que tem de ter consequências", disse José Manuel Pedreirinho sobre o caso, que ocorreu em março, mas de que só agora a Ordem teve conhecimento, quando estava a ser finalizado o prazo para a entrega de candidaturas.

O presidente da direção relatou que, depois de alguma investigação sobre a criação dos domínios, através da empresa que serve de intermediária, foi possível chegar a um arquiteto que se assumiu como responsável.

"Pediu desculpas e disse que foi por brincadeira, e que a intenção não era causar perturbação nas eleições, mas não sabendo se foi intencional ou não decidi avançar com uma queixa", no Ministério Público.

José Manuel Pedreirinho disse à Lusa que comunicou o caso à comissão eleitoral, e tomou a decisão sozinho, como presidente da Ordem, sem identificar a pessoa em causa.

Entretanto, soube que a empresa vai anular os domínios fraudulentos.

"Não sou candidato, nem apoio nenhuma das listas. O meu objetivo é que as eleições corram com normalidade", disse.

Quatro listas vão concorrer às eleições para os órgãos sociais nacionais e regionais da Ordem dos Arquitetos para o triénio 2020-2022, marcadas para decorrer entre 17 e 26 de junho.

As quatro listas candidatas são: Lista A, "Uma Ordem Presente", encabeçada pelo arquiteto Daniel Fortuna do Couto, atual vice-presidente do conselho diretivo nacional; Lista B, "A Ordem és tu", encabeçada pela arquiteta Cláudia Costa Santos, atual presidente do conselho diretivo da Secção Regional Norte da Ordem; Lista C, "Isto só lá vai com todos", liderada pelo arquiteto Gonçalo Byrne; e Lista D, "Arquitetura Perto", pela arquiteta Célia Gomes.

Neste processo eleitoral, as eleições da Ordem dos Arquitetos dizem respeito aos órgãos nacionais e regionais norte, centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo, Algarve, Região Autónoma da Madeira e Região Autónoma dos Açores.

As eleições para os órgãos nacionais e regionais da Ordem dos Arquitetos para o triénio 2020-2022, estavam marcadas para 15 de maio, mas devido às restrições sanitárias, no contexto da atual pandemia de covid-19, foram adiadas para 26 de junho.