Operação Marquês

Sócrates acusa liderança do PS de "cobardia moral"

Sócrates acusa liderança do PS de "cobardia moral"

José Sócrates visou António Costa e disse que partido deveria ter vergonha ao desconsiderar direitos.

Cinco dias depois da decisão instrutória que sentenciou a ida a julgamento por crimes de branqueamento de capitais e falsificação de documentos, José Sócrates mostrou, esta quarta-feira à noite, em entrevista à TVI, querer voltar ao ataque político, mas também judicial.

Referindo-se às declarações de Fernando Medina, o autarca de Lisboa que qualificou o comportamento do antigo primeiro-ministro como prejudicial para a democracia, Sócrates atribuiu a autoria moral a António Costa, sem nunca o nomear.

"Ouvi estas declarações com repugnância. O mandante [das declarações] é a liderança do PS. Essas declarações dizem tudo o que pensa a direção do PS. Acha que pode fazer uma condenação sem julgamento. São declarações de uma profunda canalhice. O PS deveria ter vergonha em desconsiderar os direitos e liberdade das pessoas. Quem diz estas coisas está a ajustar contas com a sua própria cobardia moral", afirmou Sócrates, que, por outro lado, acusou o juiz Ivo Rosa de lhe ter imputado um novo crime.

"Nunca esta acusação [corrupção sem ato concreto] me foi apresentada. É mentira e vou-me defender dela", disse, deixando no ar a ideia de que vai recorrer.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG