Premium

Suíça investiga Zeinal Bava por milhões detetados na Operação Marquês

Suíça investiga Zeinal Bava por milhões detetados na Operação Marquês

Ministério Público suíço pediu informações a Portugal sobre 25,2 milhões depositados em conta de ex-administrador da PT.

O Ministério Público (MP) da Suíça está a investigar, desde outubro de 2016, o ex-administrador da Portugal Telecom (PT) Zeinal Bava por movimentos financeiros naquele país que constam da Operação Marquês, relacionados com um alegado suborno pago por Ricardo Salgado, antigo líder do Banco Espírito Santo (BES). Os suíços suspeitam de branqueamento de capitais.

Em causa está a origem de 25,2 milhões de euros depositados numa conta de Bava e mais tarde parcialmente devolvidos por este a Salgado. No início de outubro, a procuradoria helvética pediu informações às autoridades nacionais sobre a situação do ex-gestor na Operação Marquês e, agora, o MP português pretende que as explicações dadas pelos arguidos na Suíça, aparentemente contraditórias, sejam consideradas como prova contra ambos no processo que corre em Portugal, atualmente em fase de instrução. E já o requereu ao juiz Ivo Rosa. O ex-administrador da PT está acusado, neste caso e entre outros ilícitos, de um crime de branqueamento de capitais, um de falsificação de documento e um de corrupção passiva, os dois primeiros em coautoria com o antigo banqueiro, que também responde por corrupção ativa.