Julgamento

Suspeito da morte de adepto italiano calado em tribunal

Suspeito da morte de adepto italiano calado em tribunal

O adepto do Benfica suspeito de, em abril de 2017, ter atropelado mortalmente um adepto italiano simpatizante do Sporting junto ao Estádio da Luz, em Lisboa, remeteu-se esta terça-feira ao silêncio na primeira sessão do julgamento, a decorrer sob segurança reforçada no Campus de Justiça, em Lisboa.

Luís Pina, de 38 anos, está acusado de um crime de homicídio pela morte de Marco Ficini, de 41 anos, e quatro tentativas de homicídio. Outros 21 arguidos sentam-se no banco dos réus por participação em rixa, dano com violência e omissão de auxílio.

Doze estão, segundo o Ministério Público, ligados à claque sportinguista "Juventude Leonina" e dez à claque benfiquista "No Name Boys".

O caso remonta à madrugada de 22 de Abril de 2017, quando um grupo de adeptos do Sporting se deslocou até ao Estádio de Luz, para, diz a acusação, ripostar na sequência do lançamento de um foguete luminoso junto ao Estádio de Alvalade. Entre eles, estava Marco Ficini, que tinha viajado de Itália para assistir ao derbi entre Benfica e Sporting agendado para esse dia.

Terá sido durante os confrontos entre os elementos das claques dos dois clubes que Luís Pina atropelou o italiano, "arrastando o corpo por 15 metros" e imobilizando o carro "só depois de ter passado completamente por cima do corpo da vítima". De seguida, terá abandonado o local, "sem prestar qualquer auxílio".

Esta terça-feira, apenas quatro dos arguidos quiseram prestar declarações. Em tribunal, garantiram não ter presenciado o atropelamento de Marco Ficini, que não conheciam.

O julgamento continua a partir das 14.30 horas, com a inquirição de testemunhas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG