Justiça

Prisão preventiva para suspeito de atear fogo que matou dezenas de animais em Santo Tirso

Prisão preventiva para suspeito de atear fogo que matou dezenas de animais em Santo Tirso

O eletricista de 29 anos acusado de ter ateado mais de 30 incêndios em Valongo e Paredes, que foi esta quarta-feira detido pela Polícia Judiciária, ficou em prisão preventiva.

O eletricista, residente em Sobrado, Valongo, chegou esta manhã ao tribunal local para ser interrogado e ficou em prisão preventiva.

O suspeito foi detido esta quarta-feira pela Polícia Judiciária e tem antecedentes policiais por crime de incêndio florestal.

Trabalha como eletricista, mas isso não impedia "a constante circulação, de dia e de noite, nas zonas florestais, efetuando múltiplas manobras evasivas e condução errática, presumivelmente para despistar as autoridades".

O homem atuava principalmente nas zonas de Valongo e Baltar. Os incêndios terão sido provocados com recurso a isqueiro, num quadro repetitivo, que se estende no tempo, pelo menos desde o início de julho.

Segundo um comunicado da PJ, o suspeito poderá ser o responsável pelo incêndio que vitimou dezenas de animais, num abrigo em Agrela - Santo Tirso pois as chamas tiveram origem em Valongo.

"A investigação teve que avocar consideráveis recursos humanos e materiais, para concretizar a sua detenção na sequência de mais um ato criminoso", acrescenta a PJ.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG