Sentença

Três anos de prisão para mulher que agrediu juíza em Matosinhos

Três anos de prisão para mulher que agrediu juíza em Matosinhos

A mulher que em janeiro agrediu uma juíza e uma magistrada no Tribunal de Matosinhos foi, esta sexta-feira, condenada a três anos de prisão com pena suspensa por quatro anos.

A arguida está ainda sujeita a regime de prova e tratamento médico psiquiátrico, do qual terá de fazer prova de cumprimento de seis em seis meses.

Durante o julgamento, a arguida tinha confessado "integralmente e sem reservas" as agressões, pedindo desculpas às ofendidas. Tanto a defesa como o Ministério Público tinham pedido a condenação a uma pena suspensa.

A 15 de janeiro, a mulher, de 39 anos, agrediu uma juíza e uma procuradora num gabinete no Tribunal de Matosinhos durante uma conferência de pais em processo de regulação do exercício de responsabilidades parentais. Foi acusada de um crime de coação contra órgão constitucional e de dois crimes de ofensas à integridade física qualificada.

Após as agressões, a mulher foi sujeita a prisão preventiva, mas, por causa da covid-19, ficou em prisão domiciliária.

Refira-se que, no mês passado, a mesma mulher já tinha sido condenada a sete meses de pena de prisão, suspensa por um ano, por ter agredido o seu ex-companheiro e a atual namorada deste com uma pedra na cabeça, em 2018.

Outras Notícias