Insolvência

Tribunal de Guimarães afasta donos da Coelima

Tribunal de Guimarães afasta donos da Coelima

A juíza do Tribunal de Guimarães que tem a cargo o processo de insolvência da fábrica Coelima afastou o grupo MoreTextile da administração da massa insolvente. O despacho tem efeito imediato e coloca o administrador de insolvência, Pedro Pidwell, no comando da histórica têxtil de Guimarães.

A decisão do tribunal foi tomada após o grupo MoreTextile ter informado que não ia entregar o plano de insolvência que permitiria recuperar a empresa. Quando se apresentou à insolvência, a Coelima propôs-se a apresentar um plano de insolvência tendente à sua recuperação, mas acabou por informar, esta semana, que o plano se tornou "inviável nas condições atualmente existentes".

A decisão do grupo MoreTextile determinou que o tribunal tenha considerado, agora, "cessada a administração da massa insolvente pela devedora", o que faz com que o administrador de insolvência, Pedro Pidwell, tenha de proceder "à imediata apreensão dos bens", lê-se no despacho da juíza.

Os elementos da contabilidade da Coelima também devem ser apreendidos por Pedro Pidwell, que deve ainda informar os devedores da Coelima que os pagamentos "deverão ser feitos ao administrador de insolvência e não à devedora".

Pedro Pidwell é um conhecido administrador de insolvência pois tem ou teve a seu cargo os processos relativos à resolução da falência de empresas de grande dimensão. É ele que está com o processo de insolvência do Zmar, mas também liderou a resolução de processos como o da Soares da Costa, Ricon (dona da Gant), SAD do Beira-Mar, da Naval 1º de Maio, do Belenenses, da Espírito Santo Financial Portugal, das Páginas Amarelas, da Herdade de Rio Frio ou da Aquapura.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG