Dívida

Tribunal exige custas de 11 mil euros a arguido "morto"

Tribunal exige custas de 11 mil euros a arguido "morto"

Família assegura que segurança privado envolvido na Operação Fénix foi assassinado, mas Justiça aplicou multa por ele não ter ido ao julgamento.

O Tribunal de Guimarães exige que um homem dado como morto pela própria família e pelo seu advogado pague 11 mil euros de custas processuais, por não ter comparecido a qualquer das sessões de julgamento do caso conhecido por Operação Fénix.

Fernando Moura, que defendeu José Dias no processo com 54 arguidos, entre os quais os dirigentes do F. C. Porto Jorge Nuno Pinto da Costa e Antero Henrique, considera a situação "absurda" e antevê consequências graves para a família do desaparecido. Nomeadamente, relativas a penhoras de património ainda existente.

Ler mais na edição impressa ou na versão e-paper

Outros Artigos Recomendados