Desaparecimento

Vidente diz que "Maddie está enterrada numa floresta a 10 quilómetros" da Praia da Luz

Vidente diz que "Maddie está enterrada numa floresta a 10 quilómetros" da Praia da Luz

Polícia alemã recebeu nova informação há três semanas e deve investigar. Menina inglesa desapareceu no Algarve há já 14 anos.

"Infelizmente, Madeleine McCann está morta e enterrada em Portugal, numa floresta situada 10 quilómetros a nordeste de Lagos".

A afirmação é de Michael Schneider, um vidente alemão de 50 anos que diz ter dado à polícia federal da Alemanha as coordenadas exatas do local onde acredita estar o corpo de Maddie. A notícia, que foi avançada em exclusivo pela edição online do tabloide dominical "Sunday People", está a disseminar-se pela internet.

A menina inglesa desapareceu de um resort de férias da Praia da Luz, em Lagos, no Algarve, no dia 3 de maio de 2007, quando tinha quatro anos de idade. Os pais de Maddie, Kate McCann, de 52 anos, e Gerry McCann, de 53, que moram em Rothley, Leicestershire, no Reino Unido, acreditam que a menina ainda está viva e que terá sido raptada. As polícias de Portugal, Reino Unido e Alemanha seguiram várias pistas ao longo dos anos, mas a investigação nunca foi concluída.

Polícia vai "incorporar" informação

O vidente contactou há três semanas o Bundeskriminalamt, agência federal alemã conhecida como BKA e que é equivalente ao FBI, com a nova dica. A polícia respondeu-lhe por e-mail de forma lacónica: "As suas informações serão incorporadas de forma adequada no nosso trabalho".

Citado pelo "Sunday People", Schneider manifestou a sua satisfação: "Estou feliz porque o BKA parece estar a levar-me a sério. Muitas vezes, tenho a reputação de ser uma aberração ou de tentar extorquir dinheiro às pessoas e isso magoa-me. Eu nunca aceito dinheiro".

PUB

Michael Schneider, um ex-repórter de TV que no passado já conseguiu localizar restos mortais de várias pessoas desaparecidas, disse ainda ao "Sunday People": "Não divulgo as minhas informações levianamente e sem me autoquestionar constantemente. Tenho consciência da responsabilidade do meu trabalho".

Vidente já encontrou antes três mortos

Em maio deste ano, Michael Schneider ajudou a resolver o caso de uma mulher que desaparecera na Alemanha. Foi encontrada pendurada numa árvore 36 horas depois de ter fornecido à polícia a sua localização exata.

Schneider também já antes havia conseguido localizar com sucesso os corpos de um casal assassinado, Peter Neumair, de 63 anos, e Laura Perselli, de 68, que desapareceram da sua casa em Bolzano, Itália, em janeiro.

A irmã de Peter, Michaela Neumair, ouvida pelo "Sunday People", disse: "Neste caso da Maddie, vale a pena tentar. A polícia deve dar uma vista de olhos às coordenadas. Não tem nada a perder, na minha opinião".

Como é que o vidente chegou ao local?

Mas, como chegou Schneider à conclusão de que Madeleine McCann está enterrada na floresta de Lagos a 10 quilómetros da Praia da Luz, de onde desapareceu há já 14 anos?

O vidente explica a sua técnica psíquica: "Primeiro, eu olho para uma foto da pessoa desaparecida e pergunto-me, olhando para cima, em direção a Deus, se essa pessoa está viva ou morta. Depois, pego um atlas ou um mapa rodoviário e olho para as grandes áreas superficialmente. Depois, vejo no Google Maps e no Google Earth. Finalmente, deixo os meus dedos e os meus olhos circularem sobre esses mapas até que eles parem num determinado ponto e marco esse ponto".

Alemães seguem o pedófilo Christian Brueckner

Hans Christian Wolters, promotor alemão de justiça, confirmou ao "Sunday People" que a polícia já recorreu anteriormente a videntes e que, em alguns casos, a informação recebida era específica.

Wolters recusou comentar em concreto a informação do vidente Michael Schneider, mas disse: "Vários médiuns responderam ao nosso pedido de auxílio no passado e ofereceram a sua ajuda. Em alguns casos, também recebemos dicas concretas. Não as ignoramos, mas somos cautelosos".

A polícia alemã acredita que o pedófilo Christian Brueckner, de 44 anos, que atualmente cumpre uma pena de prisão de sete anos por violação, é o principal suspeito no desaparecimento Madeleine McCann.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG