Operação Cartão Vermelho

Vieira dá dois prédios e 240 mil euros como caução

Vieira dá dois prédios e 240 mil euros como caução

Imóveis estão situados em Oeiras e cada um está avaliado em 1,380 milhões de euros. Filho do antigo líder encarnado propôs um prédio e depósito em dinheiro para ficar em liberdade.

O ex-presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, ofereceu como hipoteca para permanecer em liberdade dois prédios. Cada um deles está avaliado em 1,380 milhões de euros e ambos estão situados no Dafundo, freguesia de Oeiras. Segundo o gabinete do juiz presidente da Comarca de Lisboa, Vieira propôs também "realizar um depósito em numerário no valor de 240 mil euros" para perfazer o restante valor da caução fixada em três milhões de euros.

Contrariamente ao que tinha decido relativamente à primeira proposta apresentada por Luís Filipe Vieira, o juiz de instrução criminal responsável pela operação "Cartão Vermelho", Carlos Alexandre, concordou com a solução sugerida pelo antigo líder encarnado. "Mais se informa que o Tribunal aceitou a modalidade de prestação de caução proposta, encontrando-se a aguardar a concretização das hipotecas e a realização do depósito em numerário oferecido, para substituição da medida de Obrigação de Permanência na Habitação que o arguido se encontra a cumprir", referiu o gabinete do juiz presidente da Comarca de Lisboa.

PUB

O mesmo gabinete esclarece que também o filho de Luís Filipe Vieira, Tiago Vieira, apresentou como caução um prédio e um depósito em dinheiro. "No que se refere ao arguido Tiago Vieira, informa-se que, para concretização da caução, ofereceu e comprovou a hipoteca de um imóvel e um depósito em numerário, tudo num montante global que perfaz o montante da caução que lhe foi fixada", adianta o tribunal. Recorde-se que o juiz Carlos Alexandre decretou a apresentação de uma caução de 600 mil euros para Tiago Vieira deixar de estar obrigado a prisão domiciliária.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG