Violência Doméstica

Vítima descreve agressões em tribunal, cinco testemunhas confirmam

Vítima descreve agressões em tribunal, cinco testemunhas confirmam

Vítima e cinco testemunhas confirmam em tribunal a violência de homem sobre a ex-mulher. Casal viveu dois anos na Maia e em Braga, tendo uma filha em comum.

A vítima, uma cidadã brasileira de nome Jessyca, e cinco outras testemunhas de acusação confirmaram, esta segunda-feira, no Tribunal de Braga, as alegadas agressões, ameaças e insultos que aquela sofreu às mãos do ex-companheiro, Giovanni de Lorenzo, de 30 anos.

O coletivo de juízes ouviu a versão da vítima, que descreveu as ameaças e agressões de que foi alvo, o que foi corroborado pelo seu padrasto, pela diretora do Colégio de Nossa Senhora das Graças, (onde está institucionalizada a filha do casal por ordem judicial), e de três amigas, as quais contaram que a Jessyca andava deprimida e com muito medo das possíveis atitudes violentas do Giovanni.

O tribunal ouviu, ainda, a mãe do arguido, que confirmou que as relações entre o casal eram conflituosas.

Para esta segunda-feira, estava prevista a audição de um perito em Psiquiatria que se iria pronunciar sobre os relatórios médicos, na sequência de um requerimento do advogado de defesa Luís Vaz Teixeira, feito na primeira audiência, para tentar demonstrar a inimputabilidade do arguido, ainda que parcial. O jurista pediu que o seu dossier clínico, que está no Hospital Magalhães Lemos, do Porto, viesse a tribunal e fosse comentado pelo perito que havia afirmado que o arguido é imputável.

O advogado da vítima, João Ferreira Araújo, não se opôs, pelo que o requerimento foi aprovado.

A acusação, e conforme o JN noticiou, diz que o arguido ameaçava, perseguia e agredia a ex-companheira, com quem viveu em 2018 na Maia e em Braga.

PUB

Descreve vários atos violentos do arguido, incluindo o de lhe urinar em cima depois de lhe bater.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG