País

PE exorta Bruxelas a ser célere e flexível na ajuda

PE exorta Bruxelas a ser célere e flexível na ajuda

O Parlamento Europeu exortou a Comissão Europeia a ser célere e flexível na mobilização dos fundos europeus para ajuda à Madeira, na sequência da devastadora tempestade de 20 de Fevereiro passado.

A assembleia adoptou em Estrasburgo, por larga maioria, com 474 votos a favor, sete contra e 50 abstenções, uma declaração política comum sobre os efeitos da catástrofe natural na Madeira e também da tempestade "Xynthia" noutros países europeus, sobretudo em França.

Os efeitos da tempestade na Madeira foram objecto de debate pela assembleia, na mini-sessão plenária realizada em Bruxelas a 24 de Fevereiro, tendo os 22 eurodeputados portugueses, do PSD, PS, Bloco de Esquerda, CDS-PP e CDU, elaborado uma proposta de resolução para ser votada esta semana em Estrasburgo.

Alguns dias depois, a Europa foi atingida por uma nova tempestade, "Xynthia", também com efeitos devastadores, sobretudo em França (mais de meia centena de mortos), tendo a assembleia optado por apresentar uma proposta de resolução comum, acordada entre as principais famílias políticas do Parlamento.

Tal como constava na proposta original dos eurodeputados portugueses, o Parlamento exorta a Comissão - assim que os governos das regiões afetadas apresentarem os respectivos pedidos - "a iniciar prontamente todas as acções necessárias para mobilizar o Fundo de Solidariedade da União Europeia (FSUE) da forma mais urgente e flexível e no montante mais elevado que for possível".

Portugal ainda não formalizou o pedido, aguardando Bruxelas um relatório com a estimativa global dos prejuízos do temporal para poder deliberar sobre os apoios a conceder à Madeira.

Outros Artigos Recomendados