Conteúdo PatrocinadoFestas Populares

Bugios e Mourisqueiros nas ruas de Sobrado no dia de São João

Bugios e Mourisqueiros nas ruas de Sobrado no dia de São João
Produzido por:
Brand Story

A tradicional festa da Bugiada e Mouriscada, que se realiza no dia de São João (este ano na segunda-feira), volta a encher de alegria e cor o Largo do Passal, na freguesia de Sobrado, Valongo.

A celebração recria a luta entre os Bugios (cristãos) e os Mourisqueiros (Mouros) pela posse da estátua milagrosa de S. João Baptista e destaca-se pela grandiosidade e originalidade da trama, que inverte a ordem natural dos acontecimentos. Cenas da vida quotidiana, tais como a Sementeira da Praça, a Cobrança dos D"reitos, a Sapateirada.

Foliões exuberantes e em clara maioria, os Bugios são de todas as idades e género e estão resguardados no anonimato por máscaras. Por seu lado, os Mourisqueiros são rapazes solteiros, organizados e aprumados, que andam com o rosto descoberto. No total, mais de mil figurantes trajados com vestes de veludo colorido dão cor e vida à tradição ancestral, que anualmente é vista por milhares de visitantes.

A festa onde se subverte a ordem natural das coisas tem início marcado às 8 horas, com a concentração dos Mourisqueiros em casa do Reimoeiro e dos Bugios em casa do Velho, continua com a procissão, às 11.30 horas, e a dança de Entrada, e termina ao final da tarde com a Prisão do Velho. Após este momento, segue-se a intervenção da Serpe libertadora do Velho Rei dos Bugios e repositora da ordem natural das coisas...até ao ano seguinte.

Programa da festa

8.00 h - Concentração dos Mourisqueiros em casa do Reimoeiro e dança de apresentação e concentração dos Bugios em casa do Velho e dança de apresentação
(Os dois grupos dirigem-se para a Casa do Bugio, onde vão almoçar, tomando diferentes caminhos, chegando os Mourisqueiros em primeiro lugar, como sempre acontecerá ao longo de todo o dia. Danças de apresentação de cada grupo no exterior da Casa do Bugio)

10.00 h - Jantar
("Jantar" dos dois grupos em separado, iniciado pelos Mourisqueiros. É celebrada missa solene na Igreja Matriz, em honra de S. João Baptista. Os Mourisqueiros dançam à saída do "jantar" junto à Casa do Bugio e depois dirigem-se para a Igreja por caminhos rurais, sem passarem pelo Largo do Passal)

11.30 h - Procissão
(Os Mourisqueiros tomam parte e carregam os andores)

12.30 h - Danças de Entrada
(São danças de apresentação, que decorrem no fim da procissão, num trajeto que vai da zona das Alminhas até junto da entrada do adro da Igreja Paroquial. Primeiro saem os Mourisqueiros e por fim os Bugios. A Banda de S. Martinho de Campo acompanha cada uma das formações até Campelo. A partir daí, os Mourisqueiros são acompanhados pelo toque de uma caixa e os Bugios por uma orquestra de violinos e violas braguesas. Seguem-se as Entrajadas, compostas por grupos ou indivíduos que promovem a crítica social)

13.30 h - Dança do Sobreiro

15.00 h - Lavra da Praça
(Protagonizada por camponeses mascarados, realizam na zona do Passal, os rituais de lavrar, gradar e semear, mas feitos na sua ordem inversa)

17.00 h - Dança do Cego ou Sapateirada
(Um sapateiro trabalha na sua loja. Junto a ele, a sua mulher fia. De súbito, chega um cego de enxerga às costas. O moço, que o guia, condu-lo de tal modo que ele cai por cima do sapateiro que não acha graça nenhuma ao facto. Enquanto isto, o moço do cego rapta a mulher do sapateiro. Quando este dá conta, luta contra o atrevido, recupera a mulher e a situação volta ao ponto inicial)

17.30 h - Dança do Doce
(Decorre no átrio da Residência paroquial, primeiro executada pelos Mourisqueiros e depois pelos Bugios. Tem a particularidade de o pároco ser obrigado, por tradição, a oferecer a cada Bugio e a cada Mourisqueiro um doce de Sobrado e um copo de vinho. Depois desta dança, cada formação dirige-se para o respetivo palanque/castelo, para a Prisão do Velho)

19.00 h - Prisão do Velho
(Em palanques/Castelos previamente construídos a cerca de 50 metros um do outro, no Passal, o conflito estala. Um embaixador a cavalo troca mensagens entre as duas partes. No palanque/castelo bugio, um doutor de lei de cada parte parlamenta. Os canhões troam, de um lado e do outro. Quando as munições se acabam do lado Bugio, o adversário, apercebendo-se, ataca, prende o Velho e leva-o preso. Só a Serpe, com que aparecem os Bugios, permite a libertação do Velho)

21.00 h - Dança do Santo
(De novo em situação de igualdade, Bugios e Mourisqueiros dançam em frente à igreja paroquial a Dança do Santo, primeiro os mouros e, finalmente, os cristãos. No fim, a Comissão de Festas passa o testemunho, simbolizado no ramo, à Comissão de Festas do ano seguinte)