Conteúdo Patrocinado

Domingo é dia de bugiadas e mouriscadas em Sobrado

Domingo é dia de bugiadas e mouriscadas em Sobrado
Produzido por:

O Largo do Passal, na freguesia de Sobrado, Valongo, está pronto para receber, neste domingo, a tradicional festa da Bugiada e Mouriscada, que se realiza todos os anos no dia de São João e conta com a presença de milhares de visitantes.

A lenda conta que no período de ocupação da Península Ibérica os mouros se instalaram na serra de Cuca Macuca, dedicando-se à extração do ouro. No vale, os cristãos viviam da agricultura e da criação de gado, mostrando grande devoção a uma imagem de São João, que tinha curado de uma doença grave a filha do chefe local. Um dia, a filha do rei mouro adoeceu e este, sabendo os poderes da estátua, pediu-a emprestada.

Quando esta se curou, foi organizado um banquete para agradecer a graça recebida. Contudo, o que os mouros queriam era apoderar-se da estátua, intento ao qual os cristão se opuseram, dando-se, assim, início a um conflito. Os cristão perderam a batalha quando se lhes acabou a pólvora e viram o chefe ser preso. Foi então que se lembraram de recorrer a uma enorme Serpe (serpente) e aparecer de surpresa no acampamento mouro para libertar o chefe e recuperar a imagem sagrada.

E é esta luta entre os Bugios (cristãos) e os Mourisqueiros (Mouros) pela posse da estátua milagrosa de S. João Baptista que esta celebração recria, destacando-se pela grandiosidade e também pela originalidade com que a trama é descrita, invertendo a ordem natural dos acontecimentos. Do enredo fazem também parte cenas da vida quotidiana, tais como a Sementeira da Praça, a Cobrança dos D"reitos, a Sapateirada.

Os Bugios são foliões exuberantes, de todas as idades e género, resguardados no anonimato por máscaras e estão em clara maioria. Já os Mourisqueiros são rapazes solteiros, organizados e aprumados, que andam com o rosto descoberto. No total, esta recriação dos tempos de ocupação moura na região de Valongo envolve mais de mil figurantes trajados com vestes de veludo colorido que dão cor e vida à tradição ancestral, que anualmente é vista por milhares de visitantes.

A festa onde se subverte a ordem natural das coisas tem início marcado às 8 horas, com a concentração dos Mourisqueiros em casa do Reimoeiro e dos Bugios em casa do Velho, continua com a procissão, às 11.30 horas, e a dança de Entrada, e termina ao final da tarde com a Prisão do Velho. Após este momento, segue-se a intervenção da Serpe libertadora do Velho Rei dos Bugios e repositora da ordem natural das coisas...até ao ano seguinte.

Embora a celebração só decorra um dia por ano, quem quiser saber um pouco mais pode visitar o Centro de Documentação da Bugiada e Mouriscada, em Sobrado, um espaço interpretativo, inserido no plano da Câmara Municipal de Valongo de salvaguarda da tradição.

Programa da festa

8.00 h - Concentração dos Mourisqueiros em casa do Reimoeiro e dança de apresentação e concentração dos Bugios em casa do Velho e dança de apresentação

10.00 h - Jantar

11.30 h - Procissão

12.30 h - Danças de Entrada

13.30 h - Dança do Sobreiro

15.00 h - Lavra da Praça

17.00 h - Dança do Cego ou Sapateirada

17.30 h - Dança do Doce

19.00 h - Prisão do Velho

21.00 h - Dança do Santo

ver mais vídeos