14.04.2020

Funerais

É-nos negado um último vislumbre

É-nos negado um último vislumbre

No Tanatório do Cemitério de Monte d'Arcos, em Braga, tal como por todo o país, as despedidas aos que amamos são curtas, momentos fugazes para quem não pôde ter um último adeus.

A Direcção Geral de Saúde aconselhou e os cemitérios acataram: é necessário cremar todos aqueles que falecem às mãos de uma pandemia ainda longe de se dissipar na nossa memória.

O choro fica escondido por detrás das máscaras de proteção que outrora nos desaconselharam a usar. Fazemos delas o nosso escudo - na invisibilidade que partilhamos com este vírus que não olha a nome, credo, ou estatuto social.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG