23.02.2020

Macedo de Cavaleiros

Marcelo agradeceu aos caretos de Podence por levarem nome de Portugal ao Mundo

Marcelo agradeceu aos caretos de Podence por levarem nome de Portugal ao Mundo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, na tarde deste domingo, no Entrudo Chocalheiro, que "hoje somos todos solidários com Podence, somos todos gratos a Podence e a Macedo de Cavaleiros", acrescentando que é "um dia de todos nós", referindo-se aos festejos de Carnaval que decorrem até segunda-feira, mas que este ano são especiais.

Entre 50 a 60 mil pessoas terão estado na localidade para ver os caretos, mas também Marcelo Rebelo de Sousa, que demorou quase uma hora a percorrer os 600 metros que separam a entrada na aldeia da associação dos caretos, onde decorreu a cerimónia oficial. Momento que antecedeu a inauguração de um elemento escultórico de homenagem aos caretos que, pela primeira vez, festejaram o Entrudo Chocalheiro com o selo do Património Cultural Imaterial da UNESCO. "Os caretos são história, são tradição, cultura, são a alma de um povo. São a alma de uma aldeia, são a alma de um concelho e de um país, são também a alma de Portugal".

Podence foi considerada uma localidade exemplar pelo Presidente da República, que apesar de ser uma terra pequena não se viu impedida de se tornar conhecida e famosa. "Isto é uma aldeia que vale muito mais do que 200 habitantes. Vale uma história, uma tradição, uma cultura. É um retrato do melhor que temos em Portugal. Como é como uma aldeia que parece perdida, aqui tão longe, tão longe do mar, tão longe dos que estão a exercer o poder, tão longe da capital da país, da atividade económica do país, como é que essa aldeia conseguiu que os seus caretos fosse conhecidos em todo o Mundo, admirados em todo o mundo. Consegui que Portugal fosse mais conhecido e respeitado em todo o Mundo. Como é que conseguiu? Ser admirado, ser seguido em todo o Mundo. Isto é mérito de Podence", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa no seu discurso, muito aplaudido pela multidão, que lotava completamente as ruas. "Vendo que está aqui em frente e atrás, é capaz de ser verdade", disse o Presidente da República, que com dificuldade chegou ao palanque, porque todos queriam tirar uma selfie com ele.

Marcelo fez um discurso que puxou pela alma portuguesa e pelas conquistas deste povo ao longo de séculos. "Nós somos assim, somos como Podence. Somos um povo que partiu para todo o Mundo e atravessou os mares".

No final, Marcelo estava satisfeito com uma receção tão calorosa: "Era improvável que uma aldeia tão pequenina pudesse colocar Portugal no Mundo como colocou. Com insistência e muita teimosia chegou lá. É uma tradição muito antiga, que tem a ver com tempo em que o Carnaval era diferente de hoje e que havia mais gente a viver cá. Era uma forma de os mais novinhos serem os primeiros a dar o exemplo dessa tradição que durava até ao fim da vida. É uma tradição muito democrática e muito portuguesa", explicou ao jornalistas, a quem revelou que nunca tinha estado em Podence. "Não me surpreendeu a energia deles porque eu já conhecia o presidente da junta e os entusiastas dos caretos. Energia é o que não lhes falta", acrescentou.

Marcelo prometeu empenhar-se para que o pavilhão de Portugal levado para a Expo Dubai fosse oferecido a Podence, tal como pediu o presidente da Câmara de Macedo de Cavaleiros, Benjamim Rodrigues.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG