Estado de emergência

Açores pagam salários dos média privados

Açores pagam salários dos média privados

Os órgãos de Comunicação Social privados dos Açores vão ser alvo de um "apoio excecional" do Governo Regional do arquipélago, durante os meses de abril e de maio, para evitar despedimentos.

De acordo com uma nota de Imprensa do Executivo, está prevista uma ajuda "no valor de 90% da retribuição mínima mensal regional, por trabalhador, com contrato de trabalho, por mês, tendo em conta o contexto de exceção que a região atravessa devido à pandemia de Covid-19". O apoio tem o objetivo de garantir a atual estrutura dos órgãos e, sobretudo, postos de trabalho.

No continente, a Plataforma de Media Privados (PMP) apresentou, recentemente, ao Governo uma proposta de apoio para o setor, mas ainda não teve resposta. Em cima da mesa foram colocadas várias medidas, consideradas essenciais para viabilizar o normal funcionamento dos média, como a redução da Taxa Social Única (TSU), o atraso ou a suspensão de garantias bancárias, a revisão dos spreads e a criação de linhas de crédito.

A tributação das plataformas globais no mercado português e a flexibilização dos regimes de manutenção dos postos de trabalho e lay-off foram outras ideias apresentadas. A PMP reúne os interesses dos grupos Global Media Group, Impresa, Media Capital, Cofina, Público e Renascença Multimédia. Face ao coronavírus, os órgãos de Comunicação Social têm sentido crescentes dificuldades para assegurar receitas.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG