RRCCI

Rede de cuidados continuados nos Açores estranha auditoria pedida pelo executivo

A coordenação da Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados (RRCCI) dos Açores manifestou esta quarta-feira surpresa pelo anúncio de uma auditoria externa às estruturas da rede "em detrimento da resolução de diversos constrangimentos já reportados". O Governo dos Açores diz que a auditoria visa assegurar a igualdade no internamento.

"É com estranheza e com surpresa que a Coordenação da RRCCI tem conhecimento através da comunicação social da auditoria externa às estruturas que compõem a rede, designadamente à equipa de coordenação regional, às equipas de coordenação local e às equipas de gestão de altas, a realizar pela empresa Accenture Portugal com um valor superior a 20 mil euros", lê-se num comunicado enviado às redações.

Na terça-feira, o executivo açoriano anunciou uma auditoria externa às estruturas que compõem a rede de continuados integrados para avaliar a qualidade dos serviços, auditoria essa que vai arrancar este mês e estará concluída no fim de setembro.

O contrato celebrado com a empresa Accenture Portugal tem um valor superior a 20 mil euros e pretende avaliar a qualidade dos serviços prestados pela RRCCI depois de terem surgido denúncias de maus-tratos e negligência nas Unidades de Cuidados Continuados Integrados das Santas Casas da Misericórdia de Ponta Delgada e de Angra do Heroísmo.

Hoje, a coordenação da RRCCI manifestou "surpresa pela priorização dada pelas tutelas à contratualização de uma consultora, em detrimento da resolução dos diversos constrangimentos já reportados em diversas ocasiões através de comunicações e relatórios semestrais, sem que tivessem tomado as medidas que foram recomendadas pela coordenação da rede".

No comunicado, assinado pela coordenadora da rede, Margarida Moura, é reiterado o alerta para situações que dizem respeito às condições de funcionamento das equipas da rede, por exemplo, "a ausência de meios informáticos seguros, ausência de apoio informático, ausência de apoio jurídico regular, escassez de material de escritório, ausência de viatura de serviço para deslocações em São Miguel ou ausência de ajudas de custo para deslocações em serviço a outras ilhas".

A coordenação aponta ainda para "a carência de camas em lares, associada a uma falta de gestão integrada de vagas" nas Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) que "cria bloqueios à alta de utentes das Unidades da RRCCI, principalmente em São Miguel".

"Este estrangulamento tem reflexos na admissão de novos utentes e no acesso equitativo e célere à rede de cuidados continuados", acrescenta, defendendo ainda "ser necessária a consolidação das medidas de alargamento da resposta no serviço de apoio domiciliário e a prestação efetiva de serviços dos centros de dia".

A coordenação garante, no entanto, disponibilidade para "facultar todo o apoio, no sentido de que esta auditoria seja mais um elemento de sensibilização junto das tutelas para a necessidade de resolução dos constrangimentos que se verificam na rede e que comprometem o eficiente acompanhamento das equipas e das unidades de cuidados continuados integrados".

Governo dos Açores diz que auditoria visa assegurar igualdade no internamento

O Governo dos Açores esclareceu esta quarta-feira que a auditoria anunciada à Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados (RRCCI) visa "assegurar a igualdade no acesso ao internamento nas unidades de cuidados continuados" e não avaliar a qualidade dos serviços prestados.

A auditoria, precisa esclarecimento enviado à agência Lusa, "não tem como objeto a avaliação da qualidade dos serviços prestados no âmbito da RRCCI", antes "assegurar a igualdade no acesso ao internamento nas unidades de cuidados continuados integrados da região e garantir maior celeridade dos processos de admissão, não estando relacionada com as alegadas situações de maus-tratos".

O Governo dos Açores sinaliza ainda que o contrato para a feitura da auditoria "ainda não foi formalizado", embora tenha já sido "apresentado um convite" à Accenture Portugal.

Em nota divulgada na terça-feira, o executivo regional indicava que o contrato teria "um valor superior a 20 mil euros", devendo arrancar no fim deste mês e ficar pronto no final de setembro.

A auditoria, indica ainda o Governo Regional dos Açores, tem "como principais objetivos analisar a eficácia dos instrumentos de gestão/suporte às diferentes equipas da RRCCI, bem como avaliar os relatórios de monitorização e indicadores de desempenho adotados enquanto instrumentos de avaliação do funcionamento da rede".