Arouca

Passadiços do Paiva reabrem com reservas em alta

Passadiços do Paiva reabrem com reservas em alta

Depois do anunciado regresso do percurso total para quinta-feira, já foram feitas cerca de duas mil inscrições online.

A partir desta quinta-feira, já é possível percorrer a escadaria ícone dos Passadiços do Paiva, junto à Cascata das Aguieiras, que estava inacessível desde o incêndio do verão passado. A reabertura do troço ardido - entre as praias fluviais do Areinho e do Vau - volta a atrair milhares de turistas que querem fazer a totalidade do percurso, para um fim de semana que se prevê de enchente. Até terça-feira à tarde, a atração turística de Arouca já tinha cerca de duas mil reservas online para o fim de semana, um número que irá certamente aumentar com as compras de bilhetes no local. Mas já há inscrições daí para a frente, nomeadamente para o dia 30 deste mês, véspera de feriado.

Segundo o presidente da Câmara, Artur Neves, este será o ano dos visitantes estrangeiros. Depois de os Passadiços do Paiva terem sido considerados, no ano passado, Projeto de Desenvolvimento Turístico Líder na Europa, o boom de estrangeiros interessados em visitá-los não se fez esperar. Por isso, as agências de viagens garantem que há uma grande percentagem de marcações de turistas além-fronteiras, particularmente espanhóis, para a época alta.

Com apenas quatro quilómetros de distância disponíveis desde o verão, a estrutura em madeira que se estende ao longo da margem esquerda do rio Paiva sentiu uma quebra na afluência, mas nem isso impediu um casal de vir propositadamente dos Estados Unidos da América. Prometeram regressar para fazer a totalidade do percurso.

Ao engano chegou Paula Barroso, vinda de Oeiras. "Disseram-me que já estava aberto o troço completo", referiu. Com o marido e o filho, aproveitou as férias da Páscoa para confirmar o que já muitos lhe vinham dizendo: "As pessoas comentam que é incrível, embora a parte mais bonita esteja encerrada, com muita pena minha".

Outra vez nomeados

Este ano, os passadiços voltam a estar nomeados para os World Travel Awards. Na categoria que venceram em 2016, mas também como Melhor Atração Turística a Nível Europeu. Por isso, a expectativa de Virgílio Silva, que explora o bar junto à entrada de Espiunca, é boa. Sentiu a quebra de visitantes depois do incêndio e a reabertura do percurso completo coincide com a chegada do bom tempo.

A requalificação do troço ardido - coberto pelo seguro - custou 145 mil euros, embora a Câmara apenas tenha assumido os 20 mil euros de franquia. Com a reabertura, o Município investiu num novo parque de estacionamento e contratou mais controladores de entradas.

Ainda este mês, a Autarquia vai selecionar a empresa que vai ficar responsável pela construção da prometida ponte suspensa sobre o rio. Com 480 metros de extensão, será uma das maiores da Europa. Em junho arrancam as obras, que vão levar entre cinco e oito meses.

Souberam no aeroporto e foram

Raquel Martin, de 48 anos, chegou por volta do meio-dia de terça-feira, com o marido e o filho, aos Passadiços do Rio Paiva. A família que veio de Madrid, Espanha, está desde anteontem em Portugal. Aterraram no aeroporto Francisco Sá Carneiro, na Maia, e foi lá mesmo que se depararam com informações sobre o percurso pedonal de Arouca. Percorreram mais de 60 quilómetros até à vila, porque, garantem, gostam muito de turismo de natureza e de desfrutar das paisagens.

"Não conhecíamos, nunca ouvimos falar", explicou a madrilena, que garantiu que a família tem preparação física: "Gostamos muito de caminhadas". Vão estar em Portugal durante quatro dias, e não sabiam que estavam apenas disponíveis quatro quilómetros do percurso. "É uma grande pena", disse o marido, que referiu que não era motivo de arrependimento. De mochila às costas, preparados com muita água e sandes e com a câmara fotográfica a postos, os três garantiram, antes de se fazerem à aventura, que as expectativas eram altas.

ver mais vídeos