Festas

Aveiro sem passagem de ano e com cavacas solidárias no São Gonçalinho

Aveiro sem passagem de ano e com cavacas solidárias no São Gonçalinho

Não vai haver passagem de ano na rua, este ano, em Aveiro. Mas o programa "Boas Festas", divulgado esta sexta-feira pela Câmara, conta, em dezembro, com atividades adaptadas aos tempos de pandemia, como um espetáculo de drones e sessões de cinema "drive-in".

Este ano, não vai haver o tradicional desfile de Pais Natal em moliceiros, no dia em que se acende a iluminação da cidade, nem a habitual passagem de ano celebrada na rua, com animação e fogo de artifício, na zona do Rossio. Em contrapartida, a Câmara anunciou, na mesma, um programa "Boas Festas", adaptado aos tempos atuais.

As luzes de Natal vão ser ligadas um dia mais cedo do que é costume, no próximo dia 30, em virtude do recolher obrigatório, às 13 horas, decretado para o feriado de 1 de dezembro. Assim, segunda-feira, pelas 17.30 horas, a cidade vai ficar iluminada, tal como a maior árvore de Natal do país, situada no Cais da Fonte Nova. Para assinalar o momento, vão tocar, em simultâneo, os sinos de cinco torres sineiras do centro histórico (Igreja de Jesus, Igreja da Sé, Paços do Concelho, Igreja da Vera Cruz e Igreja do Carmo).

No sábado, dia 19, a Autarquia divulgou que "os céus da cidade são inundados de luz", com uma animação natalícia intitulada "Natal nas Estrelas", que consiste num "espetáculo imersivo com drones, banda sonora e narração de Ruy de Carvalho, na voz no Pai Natal". O espetáculo acontecerá no Rossio, às 18, às 19 e às 21.30 horas, mas será também transmitido em "live streaming".

As sessões de cinema "drive-in" são outra das novidades do programa de festas. De 21 a 23 de dezembro, pelas 18.30 horas, no Parque de Exposições de Aveiro, as famílias são convidadas a assistir a filmes infantis, "não faltando as tradicionais pipocas". O acesso é livre, adiantou a Autarquia, mas sujeito a marcação prévia.

Do "Boas Festas" fazem parte, ainda, por exemplo, o concerto de ano novo pela Orquestra Filarmónica das Beiras, nos dias 1 e 2 de janeiro, no Teatro Aveirense, tal como o Concerto de Reis, a 6 de janeiro, na Igreja de Jesus. O programa, revelou a Câmara, tem um custo total de 190 mil euros, que "corresponde a um terço do orçamento de 2019".

PUB

Sacos de cavacas a 30 euros

A pandemia também obrigou ao cancelamento do tradicional lançamento de cavacas do topo da capela, aquando das festas de São Gonçalinho, que decorrem de 6 a 11 de janeiro. Por isso, esta sexta-feira, a mordomia anunciou de que forma é que os fiéis podem "prestar homenagem e cumprir as promessas" ao seu "Menino", nome pelo qual o padroeiro do bairro da Beira Mar é, carinhosamente, tratado.

Manda a tradição que cada pessoa atire, do cimo da capela, nos dias da festa, os quilos de cavacas que prometeu ao santo - para diversão das centenas de pessoas que, lá em baixo, as tentam apanhar. Este ano, a Mordomia está a aceitar, na mesma, encomendas dos doces - com um saco de cinco quilos de cavacas a custar 30 euros -, que terão que ser utilizados para consumo próprio. Mas criou outra forma de os fiéis cumprirem as promessas, com a aquisição de um "saco solidário", que mais não é do que a doação do valor de venda do saco à Mordomia, que redirecionará o dinheiro para o projeto Casa Abrigo Vera Vida, que acolhe vítimas de violência doméstica.

Nos dias da festa, explicou a organização, para que alguma tradição se mantenha, o sino vai tocar, pontualmente, e vão "chover cavacas": "Esporadicamente, subirá ao topo da capela um mordomo, devidamente equipado e protegido, que, simbolicamente, lançará algumas cavacas, que serão recolhidas por um outro mordomo, num perímetro definido e vedado".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG