Campanha

Banco Alimentar. "Devemos ajudar-nos uns aos outros" 

Banco Alimentar. "Devemos ajudar-nos uns aos outros" 

Campanha do Banco Alimentar está a decorrer este fim de semana em supermercados por todo o país.

"Gosto de ajudar o próximo. Quando cheguei, precisei e fui ajudada". O testemunho é de Filomena Chirinda, moçambicana que reside em Portugal há vários anos e, na manhã deste sábado, entregou pacotes de massa e salsichas aos voluntários do Banco Alimentar Contra a Fome que estavam à entrada do supermercado Auchan, no Centro Comercial Glicínias, em Aveiro. A campanha presencial está a decorrer até amanhã em supermercados por todo o país.

Pouco depois de Filomena, é a vez de Isabel Neves colaborar. Foi apanhada de "surpresa" quando entrou no supermercado, mas fez questão de contribuir. "Já precisei de ajuda, mas agora tenho trabalho. Consigo meter-me no lugar dos outros que não têm. Há quem tenha necessidade e eu, se tenho um bocadinho, porque não ajudar?".

PUB

Também Carminho, quatro anos, entrega um saco cheio de comida. O gesto, acompanhado sob o olhar atento do pai, Tiago Carvalho, pretende ensinar-lhe "que há meninos e adultos que têm dificuldades e, em sociedade, devemos ajudar-nos uns aos outros".

Ao longo da manhã, os voluntários não tiveram mãos a medir com os donativos. Receberam bens de Cláudia Simões, que dá todos os anos "porque há sempre quem necessite". E de Graciete Esteves, que fica "muito feliz" por poder ajudar. Segue-se José Santos, que deixa sacos repletos de alimentos não perecíveis, como azeite, leite, farinha, açúcar, óleo. Em anos passados, esteve do outro lado, no papel de voluntário, a receber os sacos.

Agora, é a vez de Maria Inês Bastos, 19 anos, que vai ajeitando as ofertas no interior de carrinhos de compras. É a terceira campanha em que a voluntária participa. "Qualquer dia posso ser eu a precisar, por isso não me importo nada de tirar um bocadinho do meu tempo para ajudar os outros naquilo que posso", explica.

Fome aumenta

No distrito de Aveiro, a recolha envolve 1500 voluntários e acontece em 126 lojas. Os bens destinam-se às 32 mil pessoas que o Banco Alimentar Contra a Fome ajuda no distrito aveirense, através de 211 instituições parceiras.

De abril a outubro registou-se um "aumento de mais 450 pessoas, das quais cerca de 130 eram jovens com menos de 10 anos" e há o receio de que "o número venha a aumentar de forma significativa no início do ano", revela o presidente do Banco Alimentar de Aveiro, Lúcio Carlos, apelando a que quem pode continue a contribuir, apesar do aumento do valor dos bens alimentares.

Quem não puder colaborar este fim de semana e quiser fazer doações, tem disponíveis vales alimentares nos supermercados e pode fazer contribuições online até 4 de dezembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG