Urbanismo

Câmara de Aveiro quer passagem desnivelada na "rotunda do Rato"

Câmara de Aveiro quer passagem desnivelada na "rotunda do Rato"

Autarquia inaugurou o troço urbano de Cacia da Avenida Europa, mas já está a projetar a próxima intervenção naquela via, antiga EN 109

A Câmara de Aveiro quer transformar a "rotunda do Rato", na Avenida Europa (antiga Estrada Nacional 109-EN109), numa passagem desnivelada. A novidade foi adiantada esta quarta-feira por Ribau Esteves, presidente da Autarquia, aquando da inauguração do troço urbano de Cacia, da mesma via. A obra ontem inaugurada teve um investimento de dois milhões de euros e decorreu numa extensão de quase dois quilómetros.

Ribau Esteves explicou que está "a terminar o estúdio prévio da "rotunda do Rato"", cujo princípio é "desnivelar os sentidos norte-sul e sul-norte, em relação a quem faz a rotunda para entrar e para sair, à semelhança do que acontece em Esgueira". O edil sublinhou que essa será a próxima empreitada que a Câmara vai realizar na Avenida Europa, via que já sofreu investimentos, nos últimos anos, que rondam os sete milhões de euros. "Com fundos comunitários ou sem, arrancaremos com o lançamento do concurso. Depois, fica-nos a faltar um projeto que ainda não iniciámos, que é a requalificação do troço urbano de Verdemilho", avançou Ribau Esteves.

A empreitada do troço de Cacia, hoje inaugurada, incluiu a construção de uma nova infraestrutura de águas pluviais, para melhorar o escoamento de águas, uma vez que a estrada alagava com facilidade em dias de chuva intensa. Além disso, foram construídos passeios em algumas zonas, assim como baias de estacionamento. Ao longo de quase dois quilómetros, também o pavimento da rodovia foi totalmente removido, tendo sido substituído por um novo.

Com a obra, na zona do cruzamento com a rua Luís de Camões - que vai ter ao centro de Cacia - o piso ficou sobrelevado, de forma a obrigar os automóveis a circular com menos velocidade. O objetivo, segundo Ribau Esteves, é obrigar os carros a circular mais devagar e "os moradores e comerciantes já notam uma diferença brutal".

Já a circulação de veículos pesados está proibida. "Esta era uma zona de referência daquilo que era a falta de qualidade urbana que existia. As pessoas que aqui vivem há décadas sabem bem o que é ter uma estrada nacional sem condições de se relacionar bem com uma zona urbana", referiu o edil.

Ribau Esteves sublinhou que aquele troço de Cacia da antiga EN109 "vai continuar a ter um tráfego intenso" e que "não vale a pena ter ilusões". "Mesmo com os elementos dissuasores, como as passagens sobrelevadas, o tráfego ligeiro vai continuar a usar muito esta via. Temos que viver com isto até ao dia em que se consiga que não haja portagens [na A25] a perturbar a vida das pessoas", defendeu o autarca, explicando que a maior parte dos automóveis que ali passa está em trânsito "entre municípios".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG