Aveiro

Física e Química: um exame que "correu bem"

Física e Química: um exame que "correu bem"

Houve quem achasse a prova mais difícil do que a do ano passado. Mas houve também quem considerasse que o grau de dificuldade foi semelhante. Apesar disso, no geral, os alunos saíram satisfeitos do exame do 11º ano.

Muitas perguntas de escolha múltipla, alguns exercícios que misturavam várias matérias e uma ou outra questão que se destacava pela dificuldade. Foi assim, segundo os alunos, o exame nacional de Física e Química A, que se realizou esta quinta-feira de manhã. Mas, no geral, a prova do 11º ano parece ter corrido bem.

"Só não fiz uma pergunta, porque não sabia mesmo. De resto, correu bem. Não achei que fosse mais difícil do que os dos outros anos, mas tinha duas perguntas que eu achei que eram diferentes do habitual", explicou, ao JN, Tomás Raposo, à saída da Escola Secundária Dr. Jaime Magalhães Lima, em Esgueira, Aveiro.

Tomás foi dos primeiros alunos a sair da sala de exame, logo no final dos 90 minutos regulamentares. Inscreveu-se na prova para ficar com "um leque de recursos" como prova de ingresso, para quando, no próximo ano, se candidatar ao ensino superior. À partida, não vai precisar de Física e Química como prova específica, por querer ingressar em Psicologia. Mas jogou pelo seguro. "Os adolescentes são pessoas que estão sempre a mudar de ideias e de opiniões. Amanhã, não sei mudo de ideias. Por isso é que vim fazer este exame", contou o aluno, que na próxima semana ainda vai testar conhecimentos na prova de Biologia e Geologia.

Inês Sequeira, de 17 anos, também achou que o exame "não foi assim tão difícil" e que, "a nível de dificuldade, era equivalente ao do ano passado". Mas Iara Raquel, de 19 anos, que faz o exame de Física e Química pelo segundo ano, tem uma opinião contrária. "No geral, correu bem. Mas acho que os exercícios foram mais complicados, em comparação com os anos passados. Havia algumas perguntas que misturavam matérias de vários capítulos", recordou a aluna, que utilizou os 30 minutos de tolerância para "fazer perguntas que tinha deixado para trás e para rever escolhas múltiplas". Quando receber o resultado do exame, Iara espera ver na pauta, pelo menos, "um 15". Afinal, quer ingressar em Física, na universidade, e a nota do exame que fez nesta quinta-feira é crucial. A nível nacional, 38 372 alunos tinham-se inscrito para testar conhecimentos na disciplina em questão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG