Covid-19

Funcionários de lar de Aveiro pernoitam no local para proteger utentes

Funcionários de lar de Aveiro pernoitam no local para proteger utentes

Seis utentes do lar do Complexo Social da Moita, propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Aveiro, estão internados no Hospital de Aveiro com Covid-19. Para salvaguardar os restantes utentes da instituição (mais de cem), 20 funcionários estão a pernoitar no lar, para não terem qualquer contacto com o exterior.

A instituição diz estar com "problemas de pessoal", por alguns funcionários estarem de quarentena preventiva, com baixas médicas ou a cuidar dos filhos. Tem ao serviço cerca de 80 funcionários, 20 dos quais, por opção própria, estão em permanência no lar e não vão a casa. "Estamos a tentar manter alguma tranquilidade. Tem sido um conforto ver como é que o nosso pessoal está a encarar a situação. Cedemos umas instalações que íamos inaugurar em breve para os que, por opção, quiseram ficar em permanência na instituição. Os restantes estão a ir a casa e a regressar", contou, ao JN, Lacerda Pais, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Aveiro.

Em relação aos utentes infetados, o provedor adiantou que se trata de doentes "acima dos 85 anos". Entretanto, outros utentes do lar que apresentam algum tipo de sintomatologia estão a ser submetidos a testes para despiste de Covid-19. Os primeiros casos de utentes da instituição infetados com o novo coronavírus surgiram no início da semana. Até agora, a Santa Casa da Misericórdia de Aveiro ainda não conseguiu descobrir qual foi a via de transmissão do mesmo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG