Aveiro

Horas de espera na Urgência do Hospital

Horas de espera na Urgência do Hospital

Os casos menos graves estão a demorar mais de cinco horas a ser atendidos na Urgência do Hospital de Aveiro. A falta de médicos – devido ao período de férias – e o recurso ao serviço de casos não urgentes estão na base do problema.

O tempo de espera no serviço de Urgência do Hospital de Aveiro disparou nas últimas duas semanas, com os casos considerados menos urgentes a demorarem mais de cinco horas a serem atendidos. Os doentes com pulseiras  verdes e azuis estavam a ser atendidos após quatro e cinco horas quando o protocolo de Manchester, sistema internacional usado em Aveiro, prevê duas horas de atendimento, respectivamente. O director do Hospital de Aveiro, Francisco Pimentel, frisa, no entanto, que os casos verdadeiramente urgentes estão ser tratados dentro dos parâmetros normais.

Para o director do Hospital de Aveiro, há várias situações que estão na origem do aumento da espera na Urgência. “A principal está relacionada com a falta de médicos, provocada pelas férias dos clínicos: dos que pertencem ao hospital, dos que são contratados individualmente para a Urgência e dos que trabalham nos Centros de Saúde levando a que muitos utentes se desloquem à urgência”, explicou ao Jornal de Notícias.

Francisco Pimentel revela que a administração tem tido  “grandes dificuldades” para contratar clínicos, tendo admitido a possibilidade de recorrer a empresas para conseguir médicos, uma prática que a actual administração tem recusado. “Já conseguimos contratar directamente alguns médicos para os próximos dias mas que são insuficientes para colmatar os que estão de férias”, afirmou Francisco Pimentel.

O recurso ao serviço de casos não urgentes acentua o problema. “Há muita gente que continua a ir à Urgência sem ser necessário. Casos agudos que poderiam ser resolvidos através da Linha de Saúde 24, com o médico de família ou nas consultas abertas dos centros de saúde”, refere em forma de conselho Francisco Pimentel. O aumento da população devido à presença de turistas numa zona balnear pressiona ainda mais a Urgência. Perto de meio milhar de pessoas tem passado diariamente pelo serviço.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG