Aveiro

Mais de 3.500 novos desempregados por mês em Aveiro

Mais de 3.500 novos desempregados por mês em Aveiro

O distrito de Aveiro registou em média mais de 3.500 novos desempregados por mês, nos primeiros oito meses do ano, informou, esta sexta-feira, a União dos Sindicatos de Aveiro, afeta à CGTP.

"O número de trabalhadores que atualmente recorre à inscrição nos centros de emprego no distrito é angustiante", descreve a USA em comunicado, acrescentando que de janeiro a agosto inscreveram-se 28.207 novos desempregados, o que dá uma média mensal de 3.525 desempregados.

Segundo a USA, que cita dados do Instituto de Emprego de Formação Profissional (IEFP), em agosto havia 43.283 pessoas inscritas nos centros de emprego do distrito, mais 1.058 que no mês anterior.

Esta variação representa um aumento de cerca de 22%, comparativamente a igual período do ano passado.

A União dos Sindicatos de Aveiro (USA) destaca o facto de se registar um aumento do número de desempregados em agosto, apesar de este mês se inserir na época sazonal, em que, normalmente, aumenta o número de ocupações temporárias.

Ainda segundo aquela estrutura sindical, dos 43.283 desempregados registados em agosto no distrito de Aveiro, apenas 21.047 estavam a receber proteção social de desemprego (48,63%), sendo que os valores médios destes apoios são "extremamente baixos".

"Em julho de 2012, a média do subsídio de desemprego no distrito era de 497,65 euros, o subsídio social de desemprego inicial 346,21 euros e o subsídio social de desemprego subsequente 368,71 euros", lê-se na mesma nota.

A USA diz que a situação do desemprego no país e no distrito está a evoluir de forma "galopante", mas realça que as perspetivas são ainda "mais dramáticas", em resultado das novas medidas de austeridade anunciadas pelo Governo.

De acordo com os dados avançados pela União dos Sindicatos de Aveiro, o número de desempregados registados em agosto no distrito de Aveiro representa 11,70% da população ativa do distrito.

Em termos de variação mensal, o desemprego registado aumentou praticamente em todos os concelhos do distrito, com exceção de Estarreja, Ílhavo, Murtosa, Ovar e Vagos.

As mulheres continuam a ser as mais afetadas, totalizando mais de metade dos desempregados no distrito (56,47%).

O desemprego de longa duração (pessoas que estão no desemprego há mais de um ano) atinge 17.776 pessoas, ou seja, quase 41,07% do desemprego do distrito.

Aveiro continua a ser o quinto distrito com mais desemprego registado.