O Jogo ao Vivo

Castelo de Paiva

BE alerta para descargas poluentes no rio Arda

BE alerta para descargas poluentes no rio Arda

O Bloco de Esquerda alertou hoje para a existência de descargas poluentes no rio Arda, que a Câmara de Castelo de Paiva diz desconhecer, embora admita representar um problema, dada a inexistência de saneamento no concelho.

Em comunicado, a distrital de Aveiro do Bloco de Esquerda divulgou fotos de uma descarga poluente que diz ter-se verificado a 31 de Março junto a uma área de lazer de Oliveira do Arda, junto ao rio, e revelou que "esta situação deve ser rapidamente investigada e os seus autores punidos".

"Não é aceitável que um activo ambiental tão importante quanto o rio Arda seja colocado em causa por estas descargas poluentes", diz o BE.

Questionado pela Lusa, Gonçalo Rocha, presidente da Câmara de Castelo de Paiva, afirmou desconhecer essa situação "em concreto", mas admitiu que, "se o concelho não tem saneamento, não tem tratamento [de efluentes]".

"Esse é um problema que existe em Castelo de Paiva e está neste momento a ser tratado", assumiu.

Para o Bloco de Esquerda, cujo deputado Pedro Filipe Soares já questionou o Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território sobre esta matéria, é "urgente" proceder a uma "inspecção sobre o acontecido" e exercer "uma punição exemplar" sobre os responsáveis.

Importa também "garantir uma fiscalização apropriada para que estas descargas não se repitam" e "monitorizar a qualidade da água do rio, para assegurar que não existe qualquer perigo para a saúde pública".

O presidente da Câmara de Castelo de Paiva anunciou, por sua vez, já ter sido aberto o concurso público para construção das primeiras Estações de Tratamento de Água Residuais (ETAR) do concelho, no âmbito da concessão à Suldouro -- Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos, SA.

A primeira ETAR será construída no lugar de Castelo, na freguesia de Fornos, e as seguintes surgirão em Pedorido e depois em Santa Maria de Sardoura -- sendo que essas duas serão edificadas no formato provisório típico das estações que ainda não dispõem de ligações suficientes para justificarem o seu funcionamento pleno.

"É um investimento superior a seis milhões de euros", observou Gonçalo Rocha, "que envolve o sistema em alta e várias infraestruturas que lhe estão associadas, como interceptores e condutas elevatórias".

Os planos da Suldouro prevêem que a ETAR de Fornos possa começar a construir-se ainda no quarto trimestre de 2011, para entrar em funcionamento antes do final de 2012.

"Só na construção dessa ETAR", adiantou Gonçalo Rocha, "serão investidos quase dois milhões de euros".