O Jogo ao Vivo

Exclusivo

Empresas de Castelo de Paiva destruídas por incêndio ainda sem instalações

Empresas de Castelo de Paiva destruídas por incêndio ainda sem instalações

Empresários de Castelo de Paiva queixam-se de falta de apoios. Ministério adianta que espaço provisório fica pronto neste mês.

Um ano depois do incêndio que destruiu a quase totalidade do Centro de Apoio à Criação de Empresas do Vale do Sousa e Baixo Tâmega, em Castelo de Paiva, desalojando oito empresas com mais de 400 funcionários, quase todas as promessas continuam por cumprir. As instalações provisórias ainda não estão prontas e há quem não tenha recebido quaisquer apoios e isenções da Segurança Social, denunciam empresários. O Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social nega e avança que o espaço alternativo fica pronto neste mês.

Revolta. É isso que sentem Cátia Rodrigues e Maria do Céu Gomes, que viram as empresas, da área do corte e costura de calçado, reduzidas a cinzas a 13 de julho do ano passado. A primeira procurou instalações em Penafiel para manter a laboração, a segunda está à espera de fechar atividade, porque não conseguiu continuar sem ajudas. Ambas dizem que os apoios prometidos nunca chegaram.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG