O Jogo ao Vivo

Espinho

Equipa de futebol excluída de torneio diz-se vítima de racismo

Equipa de futebol excluída de torneio diz-se vítima de racismo

"Racismo". Esta é a palavra mais repetida pelos elementos de uma equipa de futebol de 7 composta por indivíduos de etnia cigana e por "vareiros" de Espinho. Foram excluídos de um torneio da SuperLiga Porto 7, já depois da inscrição feita e paga. A empresa justifica que o lugar foi ocupado por outra equipa que "tinha prioridade".

"É uma situação gravíssima. É um atentado à dignidade humana e à Constituição Portuguesa", afirmou, ao JN, Diogo Carvalho, treinador de alguns dos jovens desta equipa composta por elementos de etnia cigana e outros da comunidade espinhense.

O treinador acrescenta que se trata de um caso "gritante de discriminação. Isto não faz sentido nenhum, foi uma coisa muito, muito, feia".

PUB

Explica que se procedeu à inscrição da equipa e ao respetivo pagamento. Contudo, ainda antes de o campeonato começar foram confrontados com o facto de terem sido excluídos.

Também Joabe Rodrigues, jogador desta equipa de amigos diz que foram alvo de "racismo". "Fizemos a nossa inscrição, gastamos 170 euros no nosso equipamento e passado uns dias vimos na publicação do calendário dos jogos que a nossa equipa tinha desaparecido, sem nenhuma explicação", afirmou.

Joabe Rodrigues diz-se "farto de racismo". "Queremos que a justiça seja feita".

Seguiram já queixas para a PSP e para a Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto.

A contestação é generalizada. Ricardo Maia, pastor de uma Igreja frequentada pelos jogadores, mostra igual preocupação com o sucedido.

"É uma situação muito triste. Sempre respeitamos e fomos respeitados e é lamentável haver ainda pessoas com uma mente doente. Há gente boa e má em todo o lado, o importante é haver respeito", destacou.

Ouvido pelo JN, Ricardo Gomes, representante da Minifootball na zona norte do país, entidade organizadora do torneio, explicou que o grupo foi retirado depois de confirmada a presença de uma outra equipa que "tinha prioridade", porque "já tinha participado no ano passado".

"Tínhamos que retirar alguém e como eles foram os últimos a serem inscritos tiveram que ser retirados", disse.

Adianta que propôs que os jogadores de Espinho participassem numa outra liga, mas estes recusaram e foi-lhes devolvida a verba de inscrição.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG