Desconfinamento

Milhares de pessoas regressam à feira de Espinho 

Milhares de pessoas regressam à feira de Espinho 

"Os clientes estão vivos e a regressar". Quem o garante é Maria da Conceição, uma das vendedoras da feira de Espinho que, esta segunda-feira, retomou atividade. Este mercado ao ar livre vai abrir a venda a todos os ramos de negócio no dia oito de junho.

Com esperança que diz ter em que "tudo vai correr bem", Maria da Conceição não parava, de um lado para o outro, num rodopio para atender a clientela.

Logo na abertura do recinto, que se encontra isolado por gradeamento e com venda exclusiva a produtos agroalimentares, se notavam os sinais positivos de que seria uma feira concorrida.

Centenas de pessoas aguardavam ordeiramente a sua vez de entrar no recinto, depois de passar as mãos pelo gel desinfetante e de ostentarem a obrigatória máscara.

Pelas 9.15 horas, já tinham passado pelo recinto cerca de 1500 pessoas, sendo a capacidade máxima em simultâneo de 250 pessoas.

"Esperamos um pouco, mas correu bem e vamos às compras para ajudar os vendedores e comprar produtos frescos", explicou Susana Santos, uma das muitas clientes.

No recinto, os técnicos da autarquia tentavam minimizar pequenos ajuntamentos pontuais e davam conselhos à clientela e vendedores.

Perante a "experiência positiva", o presidente da Câmara Municipal, Pinto Moreira, confirmou, ao JN, que a feira deverá abrir venda a todos os setores no dia oito de junho, uma das reivindicações mais referidas por clientes e vendedores do agroalimentar que esperam desta forma ter, ainda, mais clientela.

Outras Notícias